clique para ir para a página principal

Ibovespa encerra o dia em alta de 0,77%; Governo adia o anúncio de medidas sociais e econômicas

Atualizado em -

Ibovespa encerra o dia em alta de 0,77%; Governo adia o anúncio de medidas sociais e econômicas Foto: Freepik
► Expectativa de inflação dos consumidores atinge mínima histórica► Confiança do consumidor tem alta em agosto e chega ao mesmo nível de março, aponta FGV

O índice brasileiro encerrou o dia em alta de +0,77% cotado aos 102.298 pontos. Em dia de alta, os índices S&P 500 e Nasdaq alcançaram novas máximas de fechamento, com o otimismo sobre potenciais avanços médicos na guerra contra a Covid-19, empurrando os três principais índices para cima. Os mercados foram impulsionados com o anúncio da FDA, agência reguladora de medicamentos nos Estados Unidos, de que havia dado autorização de emergência para o uso de plasma de pacientes recuperados como opção de tratamento.

Além disso, traz otimismo as menores tensões entre EUA e China. Segundo a imprensa, a equipe de Donald Trump tem assegurado às empresas locais de que elas ainda podem fazer negócios com o aplicativo de mensagens WeChat na China.

Aqui no Brasil, o governo Jair Bolsonaro decidiu adiar o anúncio do megapacote de medidas nas áreas social e econômica, inicialmente previsto para amanhã. Indefinições em alguns pontos dos programas a serem anunciados pelos ministros foram apontados como motivos para o cancelamento da agenda. Os principais impasses envolvem o valor do benefício do Renda Brasil e dúvidas sobre o encaminhamento de uma proposta de reforma administrativa.

Enquanto isso, o dólar comercial registra leve queda de 0,23% a R$ 5,5912 na compra e a R$ 5,5942 na venda.

Maiores altas:

  • Eletrobras ON (ELET3) +9,38% R$ 37,42
  • Eletrobras PN (ELET6) +8,75% R$ 37,55
  • Embraer (EMBR3) +5,25 R$ 7,62

Maiores baixas:

  • Yduqs (YDUQ3) -5,14% R$ 30,65
  • IRB (IRBR3) -3,90% R$ 7,89
  • Cogna (COGN3) -2,90% R$ 6,37

Relacionados:

► Expectativa de inflação dos consumidores atinge mínima histórica► Confiança do consumidor tem alta em agosto e chega ao mesmo nível de março, aponta FGV

Leia mais: