clique para ir para a página principal

Governo anuncia auxílio de R$300 até dezembro; reforma administrativa será enviada na quinta

Atualizado em -

Governo anuncia auxílio de R$300 até dezembro; reforma administrativa será enviada na quinta Marcos Corrêa/PR - Agência Brasil
► Governo divulga Projeto de Orçamento de 2021 e propõe salário mínimo de R$ 1.067► BNDES já movimentou R$61,7 bi para salvar empresas na pandemia

Após uma longa negociação, o governo bateu o martelo acerca do auxílio emergencial: o benefício será prorrogado até dezembro no valor de R$300, a metade do que estava sendo pago até agora.

Após reunião para discutir o assunto, o presidente Jair Bolsonaro e o ministro Paulo Guedes (Economia) fizeram pronunciamento na manhã desta terça-feira (01) ao lado de líderes do Congresso para fazer o anúncio.

Ao falar sobre o auxílio, Bolsonaro disse que os R$600 custam caro para o Brasil e reforçou que a decisão sobre o novo valor leva em consideração a responsabilidade fiscal defendida pela equipe econômica.

"Nós decidimos, até atendendo a economia, em cima da responsabilidade fiscal, fixar em 300 reais", enfatizou Bolsonaro.

Em seguida, o ministro Paulo Guedes reforçou que o novo valor está dentro do que é possível fazer com os recursos disponíveis.

"Dentro da nossa ideia do que é possível fazer com os recursos que nós temos, [decidimos] estender por quatro meses o valor de R$300 do auxilio emergencial", disse Guedes.

Reforma administrativa

Outra informação importante confirmada no pronunciamento foi o encaminhamento da reforma administrativa na quinta-feira (03) à Câmara dos Deputados. O presidente Jair Bolsonaro fez questão de afirmar que a reforma não vai atingir os atuais servidores.

"Que fique bem claro, não atingirá nenhum dos atuais servidores e se aplicará apenas aos futuros servidores concursados", ressaltou o presidente.

A reforma administrativa é parte importante do plano da equipe econômica para os próximos anos.

Relacionados:

► Governo divulga Projeto de Orçamento de 2021 e propõe salário mínimo de R$ 1.067► BNDES já movimentou R$61,7 bi para salvar empresas na pandemia

Leia mais: