clique para ir para a página principal

Embraer anuncia demissões e ações da empresa caem

Atualizado em -

Embraer anuncia demissões e ações da empresa caem Foto: Divulgação | Embraer
► Senado aprova medida com crédito de R$5 bilhões para o turismo► Passagem aérea no brasil tem queda de preço histórica no segundo trimestre do ano

A Embraer anunciou que vai demitir 2,5 mil funcionários nas fábricas do Brasil como consequência dos impactos da pandemia do coronavírus e pelo fim da parceria com a Boeing, que rescindiu um acordo avaliado em US$5,26 bilhões em abril deste ano. A notícia fez as ações da Embraer fecharem a sessão desta quinta (03) em queda de 1,72%.

Além dos 1,6 mil desligamentos decorrentes de adesões ao Plano de Demissões Voluntárias (PDV) que terminou na quarta-feira (2), a Embraer vai dispensar mais 900 funcionários para ajuste de seu quadro, totalizando 2,5 mil cortes.

A Embraer mantinha cerca de 16 mil funcionários no país, sendo 10 mil apenas em São José dos Campos, sede da empresa. Os desligamentos fora do PDV acontecerão porque a empresa não atingiu a meta que esperava com as demissões voluntárias.

Após o anúncio dos cortes, os funcionários fizeram uma assembleia nesta quinta-feira (03) e aprovaram uma greve para reivindicar melhorias e, também, para evitar novas demissões, já que a empresa não pode demitir grevistas.

Fim da parceria com a Boeing

Em abril deste ano, a Boeing anunciou a rescisão do acordo que daria à empresa norte-americana o controle sobre a divisão de aviação comercial da Embraer. O negócio, firmado em 2018, era avaliado em US$5,26 bilhões e criaria uma empresa conjunta que ficaria sob comando da Boeing, com 80% de participação. A Embraer teria os outros 20% de participação.

Relacionados:

► Senado aprova medida com crédito de R$5 bilhões para o turismo► Passagem aérea no brasil tem queda de preço histórica no segundo trimestre do ano

Leia mais: