clique para ir para a página principal

CNI diz que atividade industrial em julho se aproxima do nível pré-pandemia

Atualizado em -

CNI diz que atividade industrial em julho se aproxima do nível pré-pandemia Foto: Reuters/Nacho Doce/Direitos reservados
► Indústria acredita em aumento da produção e confiança sobe► Confiança do setor de serviços sobe; IPG-M avança 2,74% em agosto

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) informou nesta terça-feira (8) que a atividade industrial cresceu em julho e recuperou as perdas acumuladas em março e abril, voltando ao nível pré-pandemia.

O estudo revelou que o faturamento aumentou 7,4% no mês, com alta de 34,5% nos últimos três meses. O índice está 1,7% menor que o registrado em fevereiro de 2020, antes da pandemia do novo coronavírus, e no acumulado de 2020 até julho apresenta queda de 5% na comparação com o mesmo período de 2019.

As horas trabalhadas na produção aumentaram 4,5% e a utilização da capacidade instalada chegou a 75,4% em julho.

Já o emprego no setor continua sem reação, havendo pouca variação nos últimos dois meses: queda de 0,2% em julho e de 0,1% em junho. Em relação a fevereiro, o emprego industrial acumula queda de 3,5% e a massa salarial, de 6,8%.

Industria brasileira

Na sexta-feira (4), a CNI revelou que a participação do Brasil na produção industrial mundial caiu de 1,24%, em 2018, para 1,19%, em 2019. Segundo a entidade, a participação do país está em trajetória de queda desde 2009 e, com a nova retração, a indústria nacional mantém perda de relevância no cenário global e passou a ocupar a 16ª posição no ranking.

“O cenário torna ainda mais urgente a aprovação de reformas e legislações que destravem a economia brasileira e aumentem a competitividade da indústria nacional. São os casos da reforma tributária, da nova lei do gás e do reforço em investimentos em pesquisa e desenvolvimento”, destaca o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade.

Relacionados:

► Indústria acredita em aumento da produção e confiança sobe► Confiança do setor de serviços sobe; IPG-M avança 2,74% em agosto

Leia mais: