clique para ir para a página principal

Guedes diz que reforma administrativa trará economia de R$ 300 bi em 10 anos

Atualizado em -

Guedes diz que reforma administrativa trará economia de R$ 300 bi em 10 anos Foto: Pedro França/Agência Senado
► "Existe muita confiança do presidente em mim", afirma ministro Paulo Guedes► PIB brasileiro encolhe 9,7% no segundo trimestre e registra maior queda desde 1996

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quarta-feira (9) que a reforma administrativa deve gerar uma economia de R$ 300 bilhões para os cofres públicos em 10 anos. Essa estimativa considera a reforma como foi enviada ao Congresso Nacional, ainda sem alterações que poderão ser feitas pelos parlamentares.

Segundo o ministro, o presidente Jair Bolsonaro pediu para não mexer nos direitos já adquiridos dos servidores públicos, e ressaltou que a segunda fase da medida envolverá o envio de vários projetos, tocando em temas como consolidação de cargos, funções e gratificações, além de gestão de desempenho e diretrizes de carreira.

“Eu hoje estou dormindo mais tranquilo porque agora tem eixo político o governo, tem uns cinco, seis políticos lá sentados e o presidente conversando com eles numa base regular. Agora tem liderança, tem base de governo, tem tudo direitinho. Não preciso mais andar desesperado pelo Planalto, correndo de um lugar para o outro, pedindo pelo amor de Deus e às vezes sendo mal entendido”, pontuou.

Guedes falou ainda sobre o PIB (Produto Interno Bruto) e afirmou que sua perspectiva é que a queda da economia será ainda menor do que a esperada este ano.

"A contração na faixa de 4% a 5%, que está sendo vista pelo mercado, representa metade do tombo que já chegou a ser previsto por alguns agentes", disse, acrescentando que os dados mais recentes mostram a retomada da atividade.

Para o Ministério da Economia, a projeção é de uma retração do PIB de 4,7% em 2020, mas o secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues, destacou na semana passada que ela será reavaliada em setembro após “todos os dados” indicarem que “o pior já passou”.

A projeção média do mercado financeiro está em queda de 5,31% do PIB neste ano, segundo o boletim Focus, divulgado pelo Banco Central.

PIB no segundo trimestre

A economia brasileira foi duramente atingida pelas medidas adotadas para lidar com a pandemia do coronavírus. Segundo dados divulgados nesta terça-feira (01) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o PIB do Brasil encolheu 9,7% no segundo trimestre deste ano na comparação com os três primeiros meses de 2020. Quando comparado com o mesmo período de 2019, a queda é de 11,4%.

Além de ser a segunda queda trimestral seguida, o número divulgado representa o menor resultado para a economia brasileira desde o início da série histórica, em 1996. A queda mostra o impacto negativo causado pelo isolamento social e pelo fechamento do comércio no auge da pandemia.

Relacionados:

► "Existe muita confiança do presidente em mim", afirma ministro Paulo Guedes► PIB brasileiro encolhe 9,7% no segundo trimestre e registra maior queda desde 1996

Leia mais: