clique para ir para a página principal

Proposta de mudança do plano de recuperação judicial da Oi é aprovada

Atualizado em -

Proposta de mudança do plano de recuperação judicial da Oi é aprovada Foto: Paulo Whitaker | Reuters
► Uber planeja que todas as viagens do aplicativo sejam feitas por carros elétricos até 2040► Vacina da AstraZeneca e Oxford tem testes suspensos; Pfizer recruta voluntários para testes no Brasil

Após 12 horas de negociações, a assembleia geral de credores da Oi aprovou na noite desta terça-feira (08) as mudanças no plano de recuperação judicial da companhia. Com a aprovação, a empresa poderá vender seus ativos nas áreas de redes móveis, torres, data centers e parte da rede de fibra ótica, e deve levantar mais de R$ 22 bilhões.

Com o plano de recuperação, a Oi pretende pagar dívidas e fazer investimentos futuros. A companhia espera reduzir o endividamento e concluir a recuperação judicial em maio de 2022.

Embora a maior parte dos credores tenha concordado com o aditamento ao plano de recuperação, grandes bancos do país tiveram divergências e tentaram suspender a assembleia por 30 dias. Unibanco, Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil e outras instituições financeiras criticaram o fato de a nova versão do plano ter estabelecido um deságio entre 55% e 60% no valor da dívida a ser paga pela tele, em comparação com a proposta de 2017.

Após muitas conversas, a Oi realizou a diminuição do deságio para a faixa de 50% a 55%.

“As modificações vêm no espírito de viabilizar aprovação do plano, mas garantindo também a sustentabilidade da execução do plano”, enfatizou o presidente da Oi, Rodrigo Abreu.

Relacionados:

► Uber planeja que todas as viagens do aplicativo sejam feitas por carros elétricos até 2040► Vacina da AstraZeneca e Oxford tem testes suspensos; Pfizer recruta voluntários para testes no Brasil

Leia mais: