clique para ir para a página principal

Conselho de Minas autoriza processo de privatização da Copasa

Atualizado em -

Conselho de Minas autoriza processo de privatização da Copasa Foto: José Cruz/Agência Brasil
► BNDES já movimentou R$61,7 bi para salvar empresas na pandemia► Stone revê termos de oferta de fusão com Linx e eleva preço por ação

O Conselho Mineiro de Desestatização (CMD) autorizou a assinatura de contrato com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para implementação do processo de privatização da Copasa, segundo fato relevante divulgado na noite desta quarta-feira (9).

Em maio, quando foi divulgado que a empresa integraria o programa de desestatizações, o mercado recebeu a notícia com bons olhos, mas a Constituição do Estado exige que seja feita uma consulta popular para a venda de estatais, o que pode dificultar o processo.

Caso não queira que vá a votação, o governador de Minas, Romeu Zema, tentará mudar a lei e precisará da aprovação de três quintos dos parlamentares. Contudo, Zema não tem a maioria na Assembleia Legislativa.

Um outro complicador é o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), que além de ser adversário político de Zema, disse que o município passaria a ter um serviço municipal de água e esgoto caso a Copasa seja privatizada.

“Se a privatização for viável economicamente e aprovada legalmente, passaremos às conversas com os municípios antes de iniciar o processo, pois, como poder concedente, eles precisam estar alinhados para que isso não impacte o preço do ativo”, disse o secretário de Governo de Minas, Mateus Simões, reconhecendo o tamanho do desafio.

Relacionados:

► BNDES já movimentou R$61,7 bi para salvar empresas na pandemia► Stone revê termos de oferta de fusão com Linx e eleva preço por ação

Leia mais: