clique para ir para a página principal

Gol confirma que recebeu proposta do BNDES; ações sobem mais de 6%

Atualizado em -

Gol confirma que recebeu proposta do BNDES; ações sobem mais de 6% Foto: Gol/divulgação
► O que é bookbuilding e quando é utilizado?► Azul pode abrir mão do pacote de socorro do BNDES, diz presidente da companhia► Azul recebe proposta de apoio do BNDES para captar R$2 bilhões

Depois de informar que recebeu os termos da proposta de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) em conjunto com um sindicato de bancos, as ações da Gol (GOLL4) operavam com valorização na tarde desta segunda-feira (14) na B3.

Às 16h52, os ativos da empresa somavam 6,83%, a R$ 21,11, oscilando entre a mínima de R$ 19,97 e máxima de R$ 21,14.

O banco de fomento negocia com as companhias aéreas brasileiras desde o mês de abril, na tentativa de mitigar os impactos da pandemia de Covid-19. O suporte financeiro acontece no âmbito do Programa Emergencial de Apoio aos Setores, voltado para os segmentos da economia atingidos pelos efeitos negativos da crise. A Gol não deu maiores detalhes sobre a proposta recebida.

BNDES também apresenta proposta para a Azul

Ontem (13), a Azul (AZUL4) anunciou que também recebeu uma proposta do BNDES. A negociação prevê uma oferta pública com objetivo de captar no mínimo R$ 2 bilhões, que consiste numa combinação de debêntures simples e bônus de subscrição, cujos valores serão determinados através do processo de bookbuilding da oferta.

Prevê também que a BNDESPAR seja o investidor âncora podendo subscrever até 60% da oferta enquanto os Bancos prestarão garantia firme de até 10% da mesma. O valor remanescente deverá ser captado junto a outros investidores através da oferta pública.

Às 16h52, os ativos da companhia somavam 6,55%, a R$ 28,32, oscilando entre a mínima de R$ 26,60 e máxima de R$28,34.

Relacionados:

► O que é bookbuilding e quando é utilizado?► Azul pode abrir mão do pacote de socorro do BNDES, diz presidente da companhia► Azul recebe proposta de apoio do BNDES para captar R$2 bilhões

Leia mais: