clique para ir para a página principal

Ministério da Economia divulga lista dos setores mais afetados pela Covid-19 no Brasil

Atualizado em -

Ministério da Economia divulga lista dos setores mais afetados pela Covid-19 no Brasil Freepik
► Bolsonaro afirma que "está proibido" falar de Renda Brasil em seu governo► Investidores de fundos imobiliários chegam à marca de um milhão pela primeira vez

O Ministério da Economia divulgou, no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira (15), uma lista com a avaliação dos setores econômicos mais afetados pela pandemia da Covid-19. Atividades artísticas e de transporte aéreo estão no topo do ranking de atividades prejudicadas, seguidas por transporte ferroviário e metroferroviário de passageiros.

Segundo o comunicado do governo federal, a lista foi elaborada com base na variação do faturamento do setor, segundo dados da Receita Federal. Foi considerada ainda a relevância do setor na economia, tanto por valor agregado, quanto por pessoal ocupado. Além da margem de cada setor, de acordo com as Contas Nacionais do IBGE, buscou-se inserir informações levando em conta particularidades de cada atividade econômica.

"A lista de atividades de que trata esta portaria é destinada a orientar as agências financeiras oficiais de fomento, inclusive setoriais e regionais, acerca dos setores mais impactados pela crise ocasionada pelo Covid-19", registra a portaria, assinada pelo Secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Alexandre da Costa.

O ministério informou que a lista visa auxiliar as agências no atendimento ao Programa Emergencial de Acesso a Crédito na modalidade de garantia (Peac-FGI), através da disponibilização de garantias via Fundo Garantidor para Investimentos (FGI). O programa criou uma linha de crédito para microempreendedores individuais (MEIs), micro, pequenas e médias empresas.

Confira a lista dos dez setores mais afetados:

  • 1. Atividades artísticas, criativas e de espetáculos
  • 2. Transporte aéreo
  • 3. Transporte ferroviário e metroferroviário de passageiros
  • 4. Transporte interestadual e intermunicipal de passageiros
  • 5. Transporte público urbano
  • 6. Serviços de alojamento
  • 7. Serviços de alimentação
  • 8. Fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias
  • 9. Fabricação de calçados e de artefatos de couro
  • 10 . Comércio de veículos, peças e motocicletas

A íntegra da portaria publicada no DOU pode ser lida no site da Secretaria-Geral da Presidência da República.

Relacionados:

► Bolsonaro afirma que "está proibido" falar de Renda Brasil em seu governo► Investidores de fundos imobiliários chegam à marca de um milhão pela primeira vez

Leia mais: