clique para ir para a página principal

Recuperação econômica global pode levar 5 anos, afirma economista-chefe do Banco Mundial

Atualizado em -

Recuperação econômica global pode levar 5 anos, afirma economista-chefe do Banco Mundial Foto: PlurAll News
► Ministério da Economia divulga lista dos setores mais afetados pela Covid-19 no Brasil► 84,9 milhões de brasileiros tinham algum grau de insegurança alimentar entre 2017 e 2018, aponta IBGE

Carmen Reinhart, economista-chefe do Banco Mundial, afirmou hoje, quinta-feira (17), durante participação remota em uma conferência realizada em Madri que a recuperação econômica global pode levar até 5 anos.

"Provavelmente haverá uma recuperação rápida quando todas as medidas de restrição relacionadas aos bloqueios forem suspensas, mas uma recuperação completa levará até cinco anos", afirmou a economista.

Reinhart ressaltou ainda que a recuperação depende das condições dos países, e que países mais pobres sofrerão essa crise por mais tempo de forma mais dura, enquanto países mais ricos deverão passar por uma recuperação mais rápida.

Taxa de pobreza global

A previsão do Banco Mundial é de que a taxa pobreza global de 2020 será maior que a do ano anterior, algo que não ocorria desde 1998. As previsões afirmam que a faixa de pobreza terá mais 500 milhões de pessoas até o final do ano.

Em 2018, 3,4 bilhões de pessoas ainda lutavam para satisfazer as necessidades básicas, segundo dados do Banco Mundial.

Ajuda internacional

Em maio deste ano, mais de 90 países pediram ajuda para o Fundo Monetário Internacional (FMI).

O FMI disponibilizou financiamento de emergência para 75 países, incluindo 47 nações de baixa renda, e disse que está pronto para fornecer mais apoio a um conjunto mais amplo de países de renda média.

Na noite de ontem (16), o FMI aprovou o aumento de ajuda para a Angola.

"A decisão do conselho de administração permite um desembolso imediato de mil milhões de dólares [847 milhões de euros] para Angola e um aumento de cerca de 765 milhões de dólares [648 milhões de euros] até ao fim do programa", para quase 4,5 mil milhões de dólares, anunciou o FMI em comunicado.

Relacionados:

► Ministério da Economia divulga lista dos setores mais afetados pela Covid-19 no Brasil► 84,9 milhões de brasileiros tinham algum grau de insegurança alimentar entre 2017 e 2018, aponta IBGE

Leia mais: