clique para ir para a página principal

Presidente do BC se diz tranquilo com relação à inflação e minimiza saída de capital estrangeiro do país

Atualizado em -

Presidente do BC se diz tranquilo com relação à inflação e minimiza saída de capital estrangeiro do país Foto: Marcelo Casal Jr/Agência Brasil
► Presidente do BC afirma que medidas tomadas na pandemia garantem impulso até dezembro► Como a Taxa Selic funciona?► Banco Central melhora projeção para o PIB de 2020

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, afirmou nesta quinta-feira (24) que a instituição monetária está tranquila em relação à inflação. A projeção do banco é que a inflação termine este ano em 2,1%. Para 2021, as projeções giram em torno de 3%.

Campos Neto disse que os preços dos alimentos retornarão à normalidade e que a inflação deve ficar sob controle.

"O Banco Central tem situação de absoluta tranquilidade em relação à inflação. Existem efeitos provenientes das subidas de preços de commodities e o efeito do pagamento do auxílio emergencial. Também mostramos relação do IPA e do IPCA e possível contaminação. A mensagem geral é que estamos tranquilos e entendemos que existia uma pressão em 2020, mas não entendemos que esses reajustes recentes vão contaminar as inflações futuras”, disse Campos Neto ao apresentar o Relatório de Inflação.

Questionado sobre a forte saída de capital estrangeiro e a queda no fluxo de entrada de Investimento Direto no País (IDP), Neto disse que a fuga está mais relacionada com as incertezas da recessão provocada pela pandemia de Covid-19.

“A queda do investimento direto está mais associado à crise. É um processo natural e entendemos que o IDP vai retomar o crescimento no ano que vem. Sim, tivemos uma saída muito grande nos primeiros meses da crise. Mas já está havendo uma retomada, em parcela menor do que a que saiu”, ponderou.

Neto reconheceu que o movimento de saída de recursos também está relacionado à redução da taxa Selic, que foi mantida em 2% ao ano, o menor patamar da história.

“Na medida em que a taxa de juros vai diminuindo no Brasil, e, pela própria crise, houve uma saída dos investimentos em renda fixa e em ações”, justificou.

Para este ano, o BC reduziu a projeção para o IDP de US$ 55 bilhões para US$ 50 bilhões. Em 2021, o BC espera recuperação nas entradas líquidas de IDP, em linha com crescimento do PIB no ano, atingindo US$ 65,2 bilhões (4,3% PIB).

Relacionados:

► Presidente do BC afirma que medidas tomadas na pandemia garantem impulso até dezembro► Como a Taxa Selic funciona?► Banco Central melhora projeção para o PIB de 2020

Leia mais: