clique para ir para a página principal

Ministro de Minas e Energia afirma que a prioridade da pasta é a capitalização da Eletrobras

Atualizado em -

Ministro de Minas e Energia afirma que a prioridade da pasta é a capitalização da Eletrobras Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
► Mercados se animam com dados do setor industrial chinês► Governo aumenta projeção de rombo e déficit pode chegar a R$895,8 bi, diz Secretário de Fazenda

Em discurso na abertura do encontro anual dos agentes do setor elétrico, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou nesta terça-feira (29) que a prioridade da pasta hoje é o projeto de capitalização da Eletrobras (ELET3; ELET6). Segundo ele, o processo de privatização da companhia faz parte das medidas que o governo considera como necessárias para a modernização do setor.

“A Eletrobras segue como prioridade no ministério em relação a pauta de capitalização. Esse processo possibilitará a constituição de uma grande corporation brasileira no setor de energia, como as diversas que existem atuando no mundo e no Brasil", disse.

O Projeto de Lei (PL) que deseja a privatização da Eletrobras foi encaminhado ao Congresso em novembro de 2019 pelo Planalto e enfrenta resistência por parte do Senado, já que a companhia é responsável pela geração e transmissão de energia para diversas regiões país, sendo o maior ator do Brasil nesse segmento. O governo desejava que a companhia fosse privatizada ainda neste ano, mas sequer foi criada a comissão especial para analisar a medida e nem foi escolhido um relator.

Para o ministro, outra prioridade da pasta é a aprovação do PL que trata da abertura do mercado de gás, que já está em tramitação no Senado.

“A aprovacão do PL 4476/20 é muito importante para viabilizarmos o novo mercado do gás. Essa política considera a oferta interna do gás pode até mais do que dobrar em 2029 e que precisamos viabilizar uma efetiva competição no mercado de gás, inclusive por meio da desverticalização das atividades, para que esse aumento de oferta se reflita na redução do preço de gás e assim de custo para a economia brasileira”, pontuou.

Relacionados:

► Mercados se animam com dados do setor industrial chinês► Governo aumenta projeção de rombo e déficit pode chegar a R$895,8 bi, diz Secretário de Fazenda

Leia mais: