clique para ir para a página principal

Bolsonaro diz na ONU que países têm "direito soberano" de explorar sua biodiversidade

Atualizado em -

Bolsonaro diz na ONU que países têm "direito soberano" de explorar sua biodiversidade Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
► Alcolumbre defende sessão do Congresso sobre desoneração da folha; senadores criticam Renda Cidadã► Desemprego sobe, atinge 13,1 milhões de pessoas e chega a nível recorde

Em discurso gravado e apresentado na cúpula sobre biodiversidade da Organização das Nações Unidas (ONU), o presidente Jair Bolsonaro falou sobre o direito que os países têm de explorar sua biodiversidade e criticou fortemente o que chamou de “cobiça internacional” sobre a Amazônia.

“Rechaço, de forma veemente, a cobiça internacional sobre a nossa Amazônia. E vamos defendê-la de ações e narrativas que agridam os interesses nacionais. Não podemos aceitar, portanto, que informações falsas e irresponsáveis sirvam de pretexto para a imposição de regras internacionais injustas, que desconsiderem as importantes conquistas ambientais que alcançamos em benefício do Brasil e do mundo”, afirmou.

O presidente também minimizou os danos ambientais provocados pelo agronegócio e acusou as ONGs de se aliarem com organizações criminosas para “comandar crimes ambientais no Brasil e no exterior”.

“Vamos dar continuidade a essa operação Verde Brasil 2 para intensificar ainda mais o combate a esses problemas que favorecem as organizações que, associadas a algumas ONGs, comandam os crimes ambientais no Brasil e no exterior”, acusou.

Joe Biden critica desmatamento na Amazônia

Pela manhã, Bolsonaro rebateu as declarações do candidato à presidência dos Estados Unidos Joe Biden, do partido Democrata, sobre o desmatamento da Amazônia. Em publicação nas redes sociais, Bolsonaro considerou a fala como "desastrosa" e "lamentável".

"O candidato à presidência dos EUA, Joe Biden, disse ontem que poderia nos pagar U$ 20 bilhões para pararmos de 'destruir' a Amazônia ou nos imporia sérias restrições econômicas. O que alguns ainda não entenderam é que o Brasil mudou. Hoje, seu Presidente, diferentemente da esquerda, não mais aceita subornos, criminosas demarcações ou infundadas ameaças. Nossa soberania é inegociável", escreveu Bolsonaro.

No primeiro debate entre os candidatos à presidência dos EUA, ocorrido ontem à noite, Biden mencionou o Brasil ao discorrer sobre o papel que o país americano precisa ter em relação às questões climáticas.

"A Floresta Amazônica no Brasil está sendo destruída, arrancada. Mais gás carbônico é absorvido ali do que todo carbono emitido pelos EUA. Eu tentarei ter a certeza de fazer com que os países ao redor do mundo levantem US$ 20 bilhões e digam (ao Brasil). Aqui estão US$ 20 bilhões, pare de devastar a floresta. Se você não parar, vai enfrentar consequências econômicas significativas", criticou.

Relacionados:

► Alcolumbre defende sessão do Congresso sobre desoneração da folha; senadores criticam Renda Cidadã► Desemprego sobe, atinge 13,1 milhões de pessoas e chega a nível recorde

Leia mais: