clique para ir para a página principal

Desemprego sobe, atinge 13,1 milhões de pessoas e chega a nível recorde

Atualizado em -

Desemprego sobe, atinge 13,1 milhões de pessoas e chega a nível recorde Foto: Reinaldo Canato
► Ministro de Minas e Energia afirma que a prioridade da pasta é a capitalização da Eletrobras► Petrobras eleva preço da gasolina e do diesel novamente a partir desta quarta (30)

A crise econômica que o Brasil enfrenta em meio à pandemia do coronavírus fez a taxa de desemprego aumentar e atingir um nível recorde entre os meses de maio e julho de 2020.

Dados divulgados pelo IBGE nesta quarta-feira (30) da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) mostram que a taxa de desocupação foi de 13,8% no trimestre de maio a julho de 2020, a maior taxa da série histórica, iniciada em 2012. O índice é equivalente a 13,1 milhões de pessoas sem ocupação, um aumento de 4,5% (561 mil pessoas) em relação ao mesmo período de 2019.

text

Fonte: IBGE

A população ocupada recuou para 82 milhões, o menor contingente da série histórica. Essa parcela da população caiu 8,1% (menos 7,2 milhões pessoas) em relação ao trimestre anterior e recuou 12,3% (menos 11,6 milhões) na comparação com os meses de maio a julho de 2019.

A força de trabalho, que reúne pessoas ocupadas e desocupadas, também atingiu o menor patamar da série histórica e chegou a 95,2 milhões de pessoas, uma queda de 6,8% (ou 6,9 milhões) frente ao trimestre anterior, e de 10,4% (ou 11 milhões de pessoas) em relação ao mesmo período de 2019.

Também houve queda na taxa de informalidade: ela chegou a 37,4% da população ocupada (o equivalente a 30,7 milhões de trabalhadores informais) entre os meses de maio e julho deste ano. No trimestre anterior, a taxa era de 38,8% e, no mesmo trimestre de 2019, de 41,3%.

Relacionados:

► Ministro de Minas e Energia afirma que a prioridade da pasta é a capitalização da Eletrobras► Petrobras eleva preço da gasolina e do diesel novamente a partir desta quarta (30)

Leia mais: