clique para ir para a página principal

BNDES anuncia nova rodada de suspensão de pagamentos de empréstimos

Atualizado em -

BNDES anuncia nova rodada de suspensão de pagamentos de empréstimos Foto: Sergio Moraes | Reuters
► BNDES já movimentou R$61,7 bi para salvar empresas na pandemia► FMI melhora previsão do PIB global deste ano; economia brasileira deve 'encolher' 5,8%

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou nesta terça-feira (13) que fará uma nova rodada de suspensão de pagamentos de empréstimos contratados junto ao Banco por empresas de setores econômicos específicos e microempreendedores em operações de microcrédito, além de estados e municípios que possuem operações automáticas contratadas com o BNDES por meio de instituições financeiras parceiras.

A medida deve promover alívio econômico a setores específicos que ainda tentam se recuperar após a crise iniciada pela pandemia de coronavírus.

Segundo o IBGE, o valor total das parcelas suspensas poderá superar R$ 2 bilhões.

A nova rodada é uma atualização do standstill (suspensão de pagamentos) já realizado pelo banco neste ano, que suspendeu R$ 12,4 bilhões em pagamentos e beneficiou 29 mil empresas onde trabalham quase 2 milhões de pessoas. Esta primeira ação também beneficiou 56 entes públicos (estados e munícipios) que tiveram seus pagamentos de financiamentos suspensos no valor de R$ 3,9 bilhões.

Com base na análise de dados econômicos, ficou definido que os setores abaixo poderão pedir, até o dia 30 de novembro, a suspensão de pagamentos das prestações tanto em operações contratadas diretamente com o BNDES quanto em indiretas, realizadas por meio de instituições financeiras credenciadas:

  • atividades esportivas e de recreação e lazer;
  • audiovisual e edição;
  • hotéis;
  • fabricação de peças e acessórios para veículos automotores;
  • construção de embarcações e estruturas flutuantes;
  • transporte metroferroviário de passageiros;
  • aeroportos;
  • navegação de apoio;
  • tecidos, artigos de armarinho, vestuário e calçados;
  • confecção de artefatos do vestuário e acessórios;
  • impressão e reprodução de gravações;
  • fabricação de móveis e indústrias diversas;
  • comércio de outros produtos em lojas especializadas.

Relacionados:

► BNDES já movimentou R$61,7 bi para salvar empresas na pandemia► FMI melhora previsão do PIB global deste ano; economia brasileira deve 'encolher' 5,8%

Leia mais: