clique para ir para a página principal

Oi acumula perda líquida de R$ 2,9 bilhões em 2020; companhia aprova novo conselho

Atualizado em -

Oi acumula perda líquida de R$ 2,9 bilhões em 2020; companhia aprova novo conselho Foto: Nacho Doce/Reuters
► CSN reverte prejuízo no 3º trimestre; mercados aguardam dados econômicos dos EUA► XP melhora projeção do PIB brasileiro, mas ressalta riscos da incerteza fiscal

A Oi (OIBR3) informou nesta sexta-feira (16) que houve uma redução líquida de R$ 197 milhões no caixa operacional em agosto deste ano. Com este resultado, a operadora acumula uma perda líquida de R$ 2,9 bilhões no caixa operacional de 2020. Julho foi o único mês em que houve saldo positivo, com R$ 8 milhões.

Em agosto, as receitas recebidas pela operadora somaram R$ 2,159 bilhões, sinalizando um acréscimo de R$ 102 milhões sobre o mês retrasado, segundo comunicado do escritório de advocacia Arnoldo Wald, administrador judicial da empresa de telefonia. Os pagamentos, no entanto, cresceram R$ 300 milhões e alcançaram o montante de R$ 1,829 bilhão. Os investimentos completam os desembolsos, contribuindo com R$ 528 milhões.

A empresa conta com R$ 5,4 bilhões em caixa, devido ao aumento de capital realizado em janeiro de 2019, que reforçou seu caixa com R$ 4 bilhões, e a venda de sua fatia na operadora angolana de telecomunicações Unitel, em janeiro deste ano. O negócio foi fechado por US$ 1 bilhão.

Novo conselho

Em assembleia geral extraordinária, os acionistas da Oi aprovaram, nesta sexta-feira (16), uma nova composição para o conselho de administração da operadora. Segundo o comunicado, estava prevista a reeleição de todos os 11 conselheiros, mas dois deles renunciaram aos cargos alegando motivos pessoais.

Deixaram o conselho José Mauro Mettrau Carneiro da Cunha e Wallim Cruz de Vasconcellos Junior, que serão substituídos por Matteus Afonso Bandeira (indicado pelo acionista Polo Capital) e Luis Maria Viana Palha da Silva (pela Bratel).

Além da formação do novo colegiado, foi aprovada uma alteração no artigo 64 do Estatuto Social da companhia. A mudança permite que os atuais membros permaneçam no cargo até a assembleia geral ordinária que aprovar as demonstrações financeiras do exercício social terminado em 31 de dezembro de 2020.

Relacionados:

► CSN reverte prejuízo no 3º trimestre; mercados aguardam dados econômicos dos EUA► XP melhora projeção do PIB brasileiro, mas ressalta riscos da incerteza fiscal

Leia mais: