clique para ir para a página principal

Guedes vê queda de 4% do PIB em 2020; Banco Central aponta retração de 5% no Boletim Focus

Atualizado em -

Guedes vê queda de 4% do PIB em 2020; Banco Central aponta retração de 5% no Boletim Focus Foto: José Cruz | Agência Brasil
► Desemprego atinge 14 milhões de brasileiros e bate recorde diante pandemia, afirma IBGE► Economia da China cresce 4,9% no terceiro trimestre

O ministro da Economia, Paulo Guedes, acredita que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil deve registrar queda de 4,0% em 2020, menor do que o esperado por economistas nas projeções divulgadas periodicamente.

Em vídeo divulgado na Cúpula da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos nesta segunda-feira (19), Guedes apontou que a retração da economia deve ser menor do que a projetada pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), por exemplo, e ressaltou a importância do respeito ao teto de gastos, num discurso de responsabilidade fiscal importante para o otimismo em relação à recuperação da economia.

"A previsão inicial do FMI e outras instituições financeiras era que o PIB brasileiro cairia quase 10%, ou mais, e revisamos para 5% a 5,5%. Mas pensamos que vai ser muito menos do que isso, 4% de queda", afirmou Guedes.

Ao falar sobre o teto de gastos, o ministro admitiu que integrantes do governo têm a intenção de ultrapassar os limites, mas destacou que o presidente Jair Bolsonaro está comprometido com a responsabilidade fiscal.

“Será uma grande luta, em alguns momentos há até luta interna, fogo amigo, pessoas aqui que querem gastar dinheiro e mandam sinais mistos para o mercado, isso é muito ruim, temos uma inclinação grande da curva de juros no momento”, disse o ministro.

Boletim Focus

Nesta segunda-feira (19), o Banco Central divulgou o Boletim Focus, que reúne as projeções de economistas para índices importantes da economia brasileira. No boletim de hoje, a previsão para o PIB passou de queda de 5,03% no levantamento anterior para retração de 5% em relação a 2020. Para 2021, o mercado baixou de 3,50% para 3,47% a expectativa de expansão da atividade econômica.

No mesmo relatório, os analistas subiram a estimativa de inflação deste ano de 2,47% para 2,65%.

Relacionados:

► Desemprego atinge 14 milhões de brasileiros e bate recorde diante pandemia, afirma IBGE► Economia da China cresce 4,9% no terceiro trimestre

Leia mais: