clique para ir para a página principal

Governo confirma nova rodada do Pronampe e programa deverá se tornar permanente

Atualizado em -

Governo confirma nova rodada do Pronampe e programa deverá se tornar permanente Clauber Cleber Caetano-PR/Agência Brasil
► Banco americano EximBank anuncia US$ 1 bilhão em investimentos no Brasil► Levantamento do Sebrae e FGV aponta melhoria no acesso ao crédito para pequenos negócios

O secretário de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Da Costa, confirmou hoje - em live com entidades representativas das micro e pequenas empresas - que o governo federal lançará a terceira fase do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), com mudanças em relação às duas primeiras etapas.

Segundo Carlos Da Costa, a perda a ser coberta pelo governo será de 25%, ao invés dos 85% da carteira atuais, e a taxa de alavancagem da nova etapa será de quatro vezes. "A taxa de juros será mais elevada que a atual (Selic mais 1,25% ao ano), mas não ultrapassará um dígito", garantiu.

O secretário adiantou também que o Pronampe será transformado em um programa permanente. E para dar apoio às operações de crédito, o governo prepara a estruturação também de um Sistema Nacional de Garantias.

Na sexta-feira passada (16), Da Costa já havia anunciado que a área econômica trabalhava para lançar uma nova rodada do Pronampe com o objetivo de ampliar os limites de empréstimos às micro e pequenas empresas.

"O governo está trabalhando intensamente para apoiar nossas micro e pequenas empresas. Já estamos trabalhando em um nova tranche do Pronampe. Ainda existe dinheiro, não acabou ainda, mas assim que acabar queremos disponibilizar uma nova tranche. Não é por falta de recursos que o programa não atingiu um número maior de empresas", declarou.

Apesar de os recursos das duas primeiras rodadas do Pronampe estarem praticamente esgotados, a avaliação do Sebrae Nacional é que somente 15% das micro e pequenas empresas do país puderam contar com a verba. O Sebrae pediu nesta semana, em audiência pública no Congresso Nacional, que o Pronampe seja reforçado neste ano e, depois, tornado permanente.

De acordo com a organização, os cerca de R$ 30 bilhões emprestados até o momento representam menos de 20% das necessidades de crédito do segmento – de R$ 200 bilhões a R$ 250 bilhões.

DFC anunciou aporte de US$ 984 milhões

Na segunda-feira (19), a Corporação Financeira dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (DFC) anunciou um aporte de US$ 984 milhões em investimentos e projetos brasileiros.

A maior parte desses recursos deve ser utilizada por bancos em empréstimos para pequenas e médias empresas atingidas pela crise causada pelo coronavírus. O DFC possui 8 projetos ativos no Brasil que somam US$ 1 bilhão, e 6 projetos em preparação.

Esse dinheiro será usado como garantia para operações de crédito dessas pequenas empresas e a gestão dos recursos será feita pelo BNDES. A expectativa é de que o montante deste auxílio alcance pouco mais de mil empresas afetadas pela pandemia em setores como o varejista, de transportes, energia, turismo e agricultura.

Relacionados:

► Banco americano EximBank anuncia US$ 1 bilhão em investimentos no Brasil► Levantamento do Sebrae e FGV aponta melhoria no acesso ao crédito para pequenos negócios

Leia mais: