clique para ir para a página principal

Totvs prorroga novamente a validade de combinação de negócios com a Linx

Atualizado em -

Totvs prorroga novamente a validade de combinação de negócios com a Linx foto: divulgaçao
► Guedes diz que governo planeja IPO para banco digital criado na pandemia► Neogrid pede registro para IPO; venda de ações será para comprar rivais e expandir

A Totvs (TOTS3) informou nesta terça-feira (20) que prorrogou até 31 de dezembro de 2020 a validade da proposta de combinação de negócios com a Linx (LINX3), apresentada à administração da empresa de softwares de gestão em 14 de agosto de 2020. Esse é o segundo adiamento ocorrido em outubro.

No início do mês, a Totvs criticou a postura da Linx por causa da decisão de não incluir a sua proposta na assembleia de acionistas, listando uma série de decisões do grupo que teriam prejudicado o andamento das negociações e favorecido a Stone (STNE).

“Desde o início, os conselheiros ditos independentes da Linx assumiram publicamente o compromisso de garantir competição justa e aberta entre as propostas. A realidade é que esses mesmos conselheiros independentes assinaram, em seguida, dois aditivos que preservam integralmente o formato da proposta original da Stone, apenas reduzindo valores, o que não torna a sua essência diferente. Porém, ao assinar esse aditivo, os conselheiros independentes perderam a sua independência e se tornaram parte integrante e conflitada na análise e, portanto, incapazes de cumprir o seu compromisso de igualdade", criticou no comunicado.

A Totvs alegou ainda que a combinação de negócios entre as duas companhias poderá gerar sinergias operacionais estimadas em R$3,2 bilhões.

"Tais sinergias poderão resultar em uma redução anual de aproximadamente R$60 milhões de OPEX, assumindo a sua captura 50% no primeiro ano, 75% no segundo ano e 100% no terceiro ano, e aproximadamente R$160 milhões de receita líquida no quarto ano após a implementação da combinação de negócios", finaliza.

No dia seguinte ao posicionamento da Totvs, a Linx afirmou que iria analisar a proposta.

"A companhia (Linx), por meio do comitê independente, analisará a nova proposta apresentada pela Totvs por meio de fato relevante de ontem, emitindo sua avaliação oportunamente, sempre em vista do melhor interesse da Linx e de seus acionistas", afirmou a companhia.

Entendendo a disputa

A Linx anunciou acordo vinculante com a Stone no dia 11 de agosto no valor de R$ 6,4 bilhões. Logo em seguida, a Totvs apresentou proposta de combinação de negócios com a Linx, afirmando que melhor atenderia ao interesse do conjunto de acionistas.

Por este motivo, a Stone reviu os termos da oferta de fusão. Na nova proposta, o valor pago por ação subiu de R$ 33,76 para R$ 35,10. Também houve acerto da multa que as partes podem ter de pagar uma a outra em algumas situações nas quais o acordo não seja fechado. A multa passou de R$ 605 milhões para R$ 453,75 milhões.

No início do mês, a Linx anunciou que assinou o acordo de venda para a empresa de pagamentos Stone, marcando também uma assembleia geral de acionistas para o dia 17 de novembro.

Relacionados:

► Guedes diz que governo planeja IPO para banco digital criado na pandemia► Neogrid pede registro para IPO; venda de ações será para comprar rivais e expandir

Leia mais: