clique para ir para a página principal

Tesouro informa que contas do governo registram déficit de R$ 76,1 bi em setembro

Atualizado em -

Tesouro informa que contas do governo registram déficit de R$ 76,1 bi em setembro Antonio Cruz/Agência Brasil
► BDRs ficam mais acessíveis a partir desta quinta (29) com desdobramentos► Tesouro Direto: é seguro emprestar dinheiro ao governo?

O Tesouro Nacional informou nesta quinta-feira (29) que as contas do governo registraram um déficit primário de R$ 76,2 bilhões em setembro deste ano. No mesmo período do ano passado, o déficit era de R$ 20,5 bilhões. Esse é o pior resultado para o mês desde o início da série histórica, em 1997.

Em termos reais, a receita líquida cresceu R$ 403,2 milhões (+0,4%), enquanto a despesa total aumentou R$ 55,4 bilhões (+43,5%), quando comparados a setembro de 2019.

O rombo nas contas do governo está associado ao aumento das despesas para combater os danos provocados pela pandemia do novo coronavírus, como o Auxílio Emergencial a pessoas em situação de vulnerabilidade e o socorro financeiro aos estados e municípios.

text

O déficit de setembro é explicado pelo aumento das despesas decorrente de medidas de combate à crise da Covid-19, avalia o Tesouro Nacional em documento que acompanha a divulgação dos dados referentes ao mês passado.

Os destaques foram o auxílio emergencial (R$ 24,2 bilhões), o auxílio aos Estados, municípios e Distrito Federal (R$ 19,3 bilhões), a aquisição de Cotas dos Fundos Garantidores de Operações e de Crédito (R$ 17 bilhões) e o Programa Emergencial de Acesso a Crédito – Maquininhas (R$ 5,0 bilhões).

No ano, acrescenta o Tesouro, o diferimento de receitas estimado é de R$ 64,5 bilhões, dos quais foram revertidos aproximadamente R$ 17,3 bilhões em agosto.

"Em setembro praticamente não houve reversão de diferimento. Há previsão de que haja reversões mais significativas em outubro e novembro", informa o documento.

Relacionados:

► BDRs ficam mais acessíveis a partir desta quinta (29) com desdobramentos► Tesouro Direto: é seguro emprestar dinheiro ao governo?

Leia mais: