clique para ir para a página principal

Usiminas reverte prejuízo de R$ 395 milhões e reporta lucro de R$ 198 milhões no 3T20

Atualizado em -

Usiminas reverte prejuízo de R$ 395 milhões e reporta lucro de R$ 198 milhões no 3T20 Divulgação/Usiminas
► Confiança da Indústria alcança maior nível desde 2011, diz FGV► Confiança de Serviços recua após cinco altas seguidas; IGP-M desacelera alta em outubro

A Usiminas (USIM3; USIM5; USIM6) reportou lucro de R$ 198 milhões no terceiro trimestre de 2020, revertendo prejuízo de R$ 395 milhões no trimestre anterior. Em comparação com o mesmo período no ano passado, a empresa superou um prejuízo de R$ 139 milhões.

A receita líquida do 3T20 foi de R$4,4 bilhões, superior em 80,7% em relação ao 2T20 (R$2,4bilhões). Esta elevação decorre, principalmente, dos melhores resultados nas Unidades de Siderurgia, Mineração e Transformação do Aço.

Em balanço divulgado, a empresa ressaltou as medidas que foram tomadas durante o período de crise na saúde causada pelo novo coronavírus.

“Durante o período de nove meses findo em 30/09/20, a Administração adotou algumas medidas para as Empresas Usiminas, com o objetivo de minimizar os efeitos econômicos da crise. Dentre tais medidas destacam-se a concessão de férias coletivas, adoção do teletrabalho (home-office) para os empregados dos departamentos administrativos, suspensão temporária de contratos de trabalho e redução de jornadas de trabalho (estas últimas duas medidas em conformidade com a Medida Provisória nº 936/2020).”

A conjuntura econômica, que trouxe recuperação de indicadores como o crescimento da atividade industrial pelo 4º mês consecutivo em agosto e a alta do Índice de Confiança do Empresário Industrial – ICEI, mostrou uma melhora na atividade industrial brasileira que impactou a companhia e animou o segmento industrial.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado foi de R$ 826 milhões.

Relacionados:

► Confiança da Indústria alcança maior nível desde 2011, diz FGV► Confiança de Serviços recua após cinco altas seguidas; IGP-M desacelera alta em outubro

Leia mais: