clique para ir para a página principal

Brasil cria 313 mil vagas de emprego em setembro, melhor resultado para esse mês desde 1992

Atualizado em -

Brasil cria 313 mil vagas de emprego em setembro, melhor resultado para esse mês desde 1992 Divulgação | Internet
► Tesouro informa que contas do governo registram déficit de R$ 76,1 bi em setembro► Guedes diz que governo pretende zerar tarifa de alimentos e materiais de construção se preço subir demais

O Brasil criou 313.564 vagas de emprego formal em setembro, mostrando uma tendência de melhora no mercado de trabalho após as quedas seguidas durante a pandemia. O número é o saldo entre as contratações e demissões: foram 1.379.509 contratações e 1.065.945 demissões no mês.

Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), da Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia, esse foi o melhor resultado para um mês de setembro desde 1992, quando foi iniciada a série histórica. Apesar do bom resultado em setembro, no acumulado do ano foram fechadas 558.597 vagas.

Segundo o ministro Paulo Guedes (Economia), os números confirmam a retomada em "V" da economia.

“Estamos criando empregos em um ritmo crescente. Tivemos em abril o fundo do poço, perdemos empregos três meses seguidos, mas já estamos criando empregos há três meses seguidos”, disse Guedes durante entrevista coletiva virtual nesta quinta-feira (29).

Na análise por setores da economia, todas as cinco categorias pesquisadas criaram empregos. O destaque e liderança entre as cinco áreas foi para a Indústria, com a abertura de 110.868 postos. Em seguida, aparecem os Serviços, com criação de 80.481 vagas.

Ao analisar as cinco regiões do Brasil, também houve criação de vagas em todas em setembro. O Sudeste liderou a abertura de vagas, com 128.094 novos postos, seguido pelo Nordeste, com 85.336 postos criados

Relacionados:

► Tesouro informa que contas do governo registram déficit de R$ 76,1 bi em setembro► Guedes diz que governo pretende zerar tarifa de alimentos e materiais de construção se preço subir demais

Leia mais: