clique para ir para a página principal

IPCA de outubro sobe 0,86%, segundo IBGE

Atualizado em -

IPCA de outubro sobe 0,86%, segundo IBGE Tânia Rego | Agência Brasil
► Alta de alimentos em outubro chega a 9,75%, afetando principalmente os mais pobres ► Mercado aumenta estimativa para inflação; Copom cita alta nos preços dos alimentos e de bens industriais

O índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de outubro subiu 0,86%, segundo dados divulgados hoje pelo IBGE. O índice é 0,22 p.p acima do resultado de setembro. Esse é o maior resultado para o mês de outubro desde 2002. No ano, o indicador acumula alta de 2,22% e, em 12 meses, de 3,92%, acima dos 3,14% observados nos 12 meses imediatamente anteriores.

Os produtos alimentícios subiram 2,11% em outubro, desacelerando frente ao mês anterior (2,63%). Já os não alimentícios subiram 0,52%, acelerando frente a setembro (0,35%).

No grupo dos Transportes (1,19%), a maior variação veio das passagens aéreas (39,83%), que contribuíram com 0,12 p.p. no IPCA de outubro, maior impacto individual no índice do mês.

Os índices subiram em todas as áreas. O município de Rio Branco (1,47%) apresentou o maior resultado, principalmente em função das altas observadas em alguns componentes alimentícios como as carnes (10,09%), o arroz (15,44%) e o óleo de soja (18,00%). O menor índice ficou com a região metropolitana de Salvador (0,46%), por conta do recuo nos preços da gasolina (-2,32%) e da energia elétrica (-1,83%).

O resultado ficou próximo do previsto pela pesquisa Bloomberg, que tinha expectativa de alta de 0,84% na base mensal. No comparativo anual, a projeção era de alta de 3,9% após avanço de 3,14% na medição anterior.

Relacionados:

► Alta de alimentos em outubro chega a 9,75%, afetando principalmente os mais pobres ► Mercado aumenta estimativa para inflação; Copom cita alta nos preços dos alimentos e de bens industriais

Leia mais: