clique para ir para a página principal

Após seis pregões consecutivos em alta, Ibovespa encerra em -0,25% na contramão das bolsas internacionais

Atualizado em -

Após seis pregões consecutivos em alta, Ibovespa encerra em -0,25% na contramão das bolsas internacionais Unsplash
► Anvisa retoma testes da CoronaVac► Alphaville interrompe pedido de IPO em decorrência de mercado desfavorável

O índice brasileiro encerrou o dia em queda de -0,25% aos 104.808 pontos na contramão das bolsas internacionais devido a ruídos políticos internos e a correção após seis pregões consecutivos de alta no mercado brasileiro.

Os ruídos se deve as menções que Bolsonaro fez em relação à situação dos trabalhadores informais quando acabar o prazo do Auxílio Emergencial, o que levou investidores a temerem uma maior pressão por gastos públicos em programas sociais. Além disso, Bolsonaro voltou a tumultuar o ambiente e gerar polêmica após declarações sobre a vacina chinesa coronavac e sobre o novo presidente eleito nos EUA.

Somado a isso, Paulo Guedes disse que o Brasil pode voltar a ter um quadro de hiperinflação caso não consiga rolar a dívida satisfatoriamente.

Entre os indicadores nacionais, as vendas no varejo cresceram 0,6% em setembro na comparação com agosto. A expectativa era de que as vendas no varejo tivessem subido 1,4% na base de comparação mensal após alta anterior de 3,4% e 8,4% no comparativo anual.

Enquanto isso, o dólar comercial registra alta de +0,43% a R$ 5,415 na compra e a R$ 5,416 na venda.

Maiores altas

  • Via Varejo (VVAR3) +5,61% R$ 18,84
  • BTG Pactual (BPAC11) +5,32% R$ 79,99
  • Marfrig (MRFG3) +3,03% R$ 14,96

Maiores baixas

  • Ultrapar (UGPA3) -6,82% R$ 20,22
  • Braskem (BRKM5) -6,57% R$ 23,75
  • Hering (HGTX3) -4,32% R$ 18,17

Relacionados:

► Anvisa retoma testes da CoronaVac► Alphaville interrompe pedido de IPO em decorrência de mercado desfavorável

Leia mais: