clique para ir para a página principal

Campanha educativa da CVM atinge mais de 1,2 milhão de pessoas no Brasil

Atualizado em -

Campanha educativa da CVM atinge mais de 1,2 milhão de pessoas no Brasil Pixabay
► CVM lança aplicativo com informações sobre instituições cadastradas ► Como funciona um Day Trade e quais são os seus riscos e vantagens

Com temas como finanças sustentáveis e inovação financeira, o a Semana Mundial do Investidor (World Investor Week – WIW 2020), com apoio da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), contou com 2.064 iniciativas - a maioria online. Através de 315 eventos, 1,2 milhão de pessoas foram atingidas por meio (lives, webinars, palestras, podcasts, entrevistas em rádios e treinamentos).

A abertura da Semana Mundial do Investidor contou com uma cerimônia na Bolsa de Valores (B3) e contou com a presença dos presidentes da CVM, da B3 e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Na ocasião, foi anunciada uma nova parceria entre a CVM e o BID através do Laboratório de Inovação Financeira (LAB).

O CEO da CVM e Futuros de Hong Kong, Ashley Alder, destacou que a campanha foi um sucesso graças aos esforços com a educação e proteção do investidor.

"Níveis mais altos de participação e a variedade crescente de atividades com foco no investidor este ano significam que a Semana Mundial do Investidor tem um impacto crescente", afirmou.

Investimentos financeiros sustentáveis

O LAB foi aceito como membro do FC4S (Financial Centres for Sustainability) e agora é o primeiro orgão da América do Sul a participar do FC4S, grupo que vem debatendo e desenvolvendo soluções financeiras inovadoras que visam contribuir com os compromissos para o enfrentamento dos riscos de mudança climática (Acordo de Paris). A CVM será a representante do LAB no FC4S.

O FC4S é o resultado de uma parceria entre integrantes de Centros Financeiros e o Programa de Meio Ambiente das Nações Unidas, com Secretariado em Genebra (Suíça). A iniciativa se deu em 2017, durante uma reunião do G7. Atualmente conta com 30 membros, dentre agências do governo, forças-tarefa do setor privado e parcerias público-privadas. Os membros são, em sua maioria, da Europa e da Ásia, havendo alguns focos estratégicos na África e três nas Américas, sendo apenas um recentemente na América Latina (México).

A criação do grupo tem como objetivo capacitar os centros financeiros e acelerar a expansão das finanças sustentáveis, permitindo que centros financeiros troquem experiências, conduzam a convergência e tomem medidas em prioridades compartilhadas.

Modalidade Day Trade

Dentre as ações educativas para os investidores, o portal da CVM também lançou uma publicação gratuita sobre Day Trade.

No material disponível é possível ter informações explicativas sobre o que é a modalidade, o seu funcionamento, custos e como cuidar do gerenciamento de riscos, por exemplo.

Entre os temas abordados estão:

  • Diferenças entre Day Trade no Mercado à Vista e no Mercado de Derivativos.
  • Vieses comportamentais.
  • Pesquisa FGV: é possível viver de daytrading?
  • Pontos de atenção antes de investir em Day Trade.

Aplicativo da CVM auxilia investidores

No dia 05 de outubro a CVM lançou um aplicativo (conforme noticiado pelo M1M) para o público em geral com acesso fácil as informações sobre quais participantes estão devidamente autorizados a atuarem no mercado de capitais.

Disponível para download nas lojas de aplicativos da Google e Apple, a primeira versão do aplicativo conta com todas as informações cadastrais dos regulados pela autarquia.

"O investidor pode saber, por exemplo, se a empresa que ele está investindo está cadastrada na CVM. A mesma verificação pode ser feita em relação à corretora, ao auditor independente, dentre outros participantes. Ao procurar o nome de uma empresa, por exemplo, será possível acessar os dados cadastrais, do diretor e de mercado", explica José Carlos Margalho, inspetor da Coordenação de Educação Financeira da CVM.

Relacionados:

► CVM lança aplicativo com informações sobre instituições cadastradas ► Como funciona um Day Trade e quais são os seus riscos e vantagens

Leia mais: