clique para ir para a página principal

Índice brasileiro encerra em alta de 2,16%; semana acumula alta de 3,8%

Atualizado em -

Índice brasileiro encerra em alta de 2,16%; semana acumula alta de 3,8% Freepik
► A exportadores, Guedes diz que Brasil 'saiu da recessão' e que pandemia ‘está descendo’► Prévia do PIB aponta crescimento de 9,47% no trimestre e fim da ‘recessão técnica’

O índice brasileiro encerrou o dia em alta de +2,16% aos 104.723 pontos acompanhando o bom desempenho dos índices internacionais em movimento de alta puxado por ações de empresas mais prejudicadas durante a crise e que tendem a se beneficiar da vacina.

Aqui no Brasil, as atenções ficaram voltadas à videoconferência do ministro da Economia no 39º Encontro Nacional de Comércio Exterior – ENAEX. Guedes disse que não haverá populismo na definição do programa social a substituir o auxílio emergencial, comprometendo-se a trazer de volta ao centro do debate as reformas fiscais.

O discurso tranquilizou o mercado depois das falas do dia anterior, quando Guedes não descartou uma prorrogação do estado de calamidade e do auxílio emergencial para 2021 em caso de segunda onda.

Entre os indicadores, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) cresceu 1,29% em setembro na comparação com agosto. Acima da mediana das projeções dos economistas, que apontava para um avanço de 1% no dado.

Enquanto isso, o dólar comercial registra leve queda de -0,05% a R$ 5,474 na compra e a R$ 5,475 na venda.

Maiores altas

  • YDUQS (YDUQ3) +9,76% R$ 28,34
  • IRB (IRBR3) +7,71% R$ 6,71
  • Notre Dame Intermédica (GNDI3) +7,46% R$ 74,50

Maiores baixas

  • Multiplan (MULT3) -2,35% R$ 22,45
  • Magazine Luiza (MGLU3) -1,49% R$ 25,10
  • CSN (CSNA3) -1,18% R$ 19,29

Relacionados:

► A exportadores, Guedes diz que Brasil 'saiu da recessão' e que pandemia ‘está descendo’► Prévia do PIB aponta crescimento de 9,47% no trimestre e fim da ‘recessão técnica’

Leia mais: