clique para ir para a página principal

Brasileiros vão às urnas: veja números dessa eleição e a história do voto no Brasil

Atualizado em -

Brasileiros vão às urnas: veja números dessa eleição e a história do voto no Brasil Antônio Augusto | Ascom | TSE
► Por que a cotação do dólar muda com os acontecimentos no país?► O que é e como é aprovada uma Medida Provisória?

Em um ano atípico, marcado pela pandemia de coronavírus, pelo isolamento social e pela adaptação ao chamado “novo normal”, milhões de brasileiros vão às urnas neste domingo (15) para escolher prefeitos, vice-prefeitos e vereadores de 5.568 cidades em todo o país.

O primeiro turno das eleições acontece só agora exatamente por causa da situação de emergência vivida por aqui. Inicialmente, a votação aconteceria em outubro, mas uma Emenda Constitucional alterou as datas para 15 e 29 de novembro para o 1º e 2º turno, respectivamente.

O Brasil tem 147,9 milhões de eleitores aptos a votar neste domingo. A votação acontecerá das 7h às 17h. O horário de 7h às 10h será reservado para pessoas com 60 anos ou mais.

Uma novidade desenvolvida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) vai ajudar os cidadãos a acompanharem os resultados das eleições: por meio do aplicativo ‘Resultados’, qualquer pessoa poderá acompanhar e obter os resultados das eleições em sua cidade a partir dos votos já apurados. Outro aplicativo, chamado ‘Boletim na Mão’, vai disponibilizar ao cidadão uma cópia digital dos resultados das seções eleitorais, possibilitando que o eleitor atue como um fiscal durante o processo.

Os dois aplicativos estão disponíveis para usuários de Android ou Apple. Clique nos links abaixo para fazer o download dos apps no seu celular:

Google Play Boletim na mão Resultados

Apple Store Boletim na mão Resultados

Além disso, a apresentação do título de eleitor de forma física será dispensada para os eleitores que tiverem em seu celular o aplicativo ‘E-Título’, que disponibiliza uma via digital do título. Ao mostrar os dados do aplicativo no momento da votação, o eleitor também deve apresentar um documento de identificação com foto.

Veja o passo a passo disponibilizado pelo TSE para as votações que acontecerão neste domingo.

eleicoes

Fonte: TSE

Números das eleições

Dados do TSE mostram que 557.383 pedidos de candidaturas foram realizados para essa disputa. Desse total, 539.441 foram considerados aptos e 17.941 foram considerados inaptos por motivos como indeferimento do pedido, renúncias e cancelamentos. Entre os motivos mais frequentes para o indeferimento de pedidos pelo TSE estão a ausência de requisitos (75,16%) e enquadramento na Lei da Ficha Limpa (11,84%).

Para as 5.568 vagas para prefeitos, existem 19.345 candidatos inscritos. Já as 58.208 vagas de vereadores são disputadas por 518.321 candidatos.

Outro dado relevante do TSE mostra que 66,4% dos candidatos é do gênero masculino e 51,2% são casados. A faixa etária com mais candidatos é a de 40 a 44 anos, com 15,91% de participação. Em seguida, aparecem os candidatos que têm entre 45 e 49 anos, que representam 15,48% do total.

Histórico

O sistema eleitoral brasileiro passou por profundas mudanças ao longo dos anos. Os registros históricos apontam que as primeiras eleições aconteceram ainda no período colonial. Atualmente, o país adota o sistema determinado pela Constituição Federal de 1988.

O voto é direto, secreto e universal, ou seja, é um dever de todos os cidadãos brasileiros. Para os cidadãos que têm idade entre 16 e 17 anos e 11 meses, o voto é facultativo. Para os maiores de 18 anos, o voto é obrigatório.

Desde 1996, o país usa urnas eletrônicas para computar os votos dos brasileiros. Inicialmente chamadas de coletor eletrônico de votos (CEV), as urnas utilizadas no Brasil servem de modelo para outros países.

Outro ponto de modernização nas eleições foi a adoção da biometria. Neste ano, por causa da pandemia, o registro biométrico não será utilizado. No entanto, essa forma de identificação dos eleitores já funciona há 12 anos no país para evitar fraudes na identificação de quem está votando.

Os brasileiros vão às urnas de 2 em 2 anos, exceto no Distrito Federal, onde não há eleição para escolha de prefeitos e vereadores. Em 2018, o país passou por eleições presidenciais e volta a escolher seu presidente, deputados e senadores em 2022. Em 2020, os brasileiros escolhem prefeitos, vice-prefeitos e vereadores e voltam às urnas com esse objetivo em 2024.

Relacionados:

► Por que a cotação do dólar muda com os acontecimentos no país?► O que é e como é aprovada uma Medida Provisória?

Leia mais: