clique para ir para a página principal

CNC divulga que confiança do empresário do comércio sobe 4,1% em novembro

Atualizado em -

CNC divulga que confiança do empresário do comércio sobe 4,1% em novembro Pixabay
► E-commerce deve fazer com que Black Friday tenha faturamento recorde de R$ 3,74 bi, estima CNC► Guedes diz que US$ 3 bilhões do Banco dos Brics entrarão no país nos próximos meses

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) informou nesta quinta-feira (19) que o Índice de Confiança do Empresário do Comércio cresceu 4,1% em novembro. Contudo, a confiança recuou 11,9% na comparação com novembro do ano passado. O indicador segue se recuperando após a mínima histórica em junho, mas a taxa de variação mensal é a menor registrada desde agosto. A confiança do comércio ainda está 20 pontos abaixo do nível pré-pandemia.

De acordo com o presidente da CNC, José Roberto Tadros, a redução do valor do auxílio emergencial e pressões sobre os preços, principalmente de produtos essenciais, têm influência na desaceleração do crescimento.

“As perspectivas são favoráveis para o desempenho do varejo no último trimestre, em função do incremento no faturamento com as festas de fim de ano, ainda que com valores menores dos benefícios emergenciais e inflação dos alimentos”, afirma Tadros, ressaltando que a queda dos índices de isolamento social contribui positivamente para a recuperação do setor, assim como as vendas pelo comércio eletrônico.

Na passagem de outubro para novembro, a principal responsável pelo aumento da confiança foi a avaliação sobre as condições atuais, que subiu 10,4%. A avaliação sobre a economia foi o componente com maior alta: 11,3%.

As expectativas do empresário do comércio cresceram 1,3%. Já as intenções de investimentos subiram 3,9%.

Na comparação com novembro de 2019, houve quedas de 19,3% nas condições atuais, de 7,3% nas expectativas e de 12,1% nas intenções de investimentos.

Relacionados:

► E-commerce deve fazer com que Black Friday tenha faturamento recorde de R$ 3,74 bi, estima CNC► Guedes diz que US$ 3 bilhões do Banco dos Brics entrarão no país nos próximos meses

Leia mais: