clique para ir para a página principal

Mercados internacionais reagem a segunda onda de Covid e operam em queda

Atualizado em -

Mercados internacionais reagem a segunda onda de Covid e operam em queda Pixabay
► Pressionado pelo cenário no exterior, ibovespa encerra em queda de 1,05% aos 106.119 pontos► Fitch reafirma rating "BB-" para o Brasil e alerta para deterioração fiscal

A intensificação de uma segunda onda de contaminação por Covid-19 nos Estados Unidos e Europa trouxe preocupação aos investidores com reflexos nas operações. Na manhã de hoje os mercados operam em queda, com o índice futuro do S&P 500 indicando variação de -0,07% e as bolsas europeias operando em -0,59%.

O índice brasileiro encerrou o dia em queda de -1,05% aos 106.119 pontos pressionado pelo cenário no exterior relacionado aos temores à segunda onda de contaminações e a notícia de que a cidade de Nova York fechará escolas a partir de amanhã para evitar o aumento no contágio.

As notícias relacionadas a uma possível vacina, no entanto, trazem algum alento. O governo de São Paulo recebeu esta manhã as 120 mil primeiras doses da CoronaVac. O material foi importado da China e desenvolvido pelo laboratório chinês Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan. A vacina ainda não teve autorização para ser aplicada no Brasil e está na 3ª fase de testes, que analisa a eficácia após aplicação em milhares de voluntários.

Na agenda econômica, a presidente do Banco Central Europeu, Christine Lagarde, prometeu um pacote de estímulos forte em dezembro.

Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian fecharam em alta de 2,45%, enquanto o petróleo Brent opera em queda de 0,09%, cotado a US$ 44,30.

Relacionados:

► Pressionado pelo cenário no exterior, ibovespa encerra em queda de 1,05% aos 106.119 pontos► Fitch reafirma rating "BB-" para o Brasil e alerta para deterioração fiscal

Leia mais: