clique para ir para a página principal

Ipea revisa projeção para PIB da agropecuária em 2020 de 1,9% para 1,5%

Atualizado em -

Ipea revisa projeção para PIB da agropecuária em 2020 de 1,9% para 1,5% Valter Campanato/Agência Brasil
► Indústria da Construção aumenta atividade e confiança em novembro► Petrobras antecipará US$ 2 bilhões em títulos emitidos no exterior; ações disparam

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) revisou sua projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) da agropecuária em 2020 para 1,5%, ante a projeção anterior, informada em outubro, de avanço de 1,9%. Para 2021, o PIB agropecuário deve ficar em 1,2%, um crescimento menor que os 2% que haviam sido projetados em outubro.

A previsão para o valor agregado da lavoura teve revisão de queda de 1,8% para 0,4%. Apesar do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) considerar safras recordes de soja (4,6%) e milho (2,6%) no próximo ano, a queda de outras culturas deve compensar parte da contribuição positiva desses dois grãos. Para a pecuária, houve revisão da expectativa de alta de 3,9% para 4,4%.

Segundo o estudo, as exportações brasileiras registraram crescimento de 6% de janeiro a outubro de 2020 na comparação com o mesmo período de 2019, impulsionadas pelo açúcar (63%) e carne suína (49%), soja (21%), algodão (21%) e carne bovina (20%). No caso das importações, houve queda de 5% nos dez principais produtos importados, entre eles o salmão (34%), o malte (10%), os produtos hortícolas (8%) e o trigo (5%).

O Ipea informou ainda que as contratações de crédito rural apresentaram bom desempenho nos quatro primeiros meses do ano-safra 2020-2021, com a concessão de R$ 92,3 bilhões de crédito entre julho e outubro, uma alta de 20,6% em relação ao mesmo período do ano passado. Mesmo com a expansão do crédito, a inadimplência segue em níveis baixos.

Relacionados:

► Indústria da Construção aumenta atividade e confiança em novembro► Petrobras antecipará US$ 2 bilhões em títulos emitidos no exterior; ações disparam

Leia mais: