clique para ir para a página principal

B3 vai liberar empréstimo de cotas de FIIs e FIPs a partir da próxima segunda-feira (30)

Atualizado em -

B3 vai liberar empréstimo de cotas de FIIs e FIPs a partir da próxima segunda-feira (30) Pixabay
► O que são e como funcionam os fundos imobiliários?► Investidores de fundos imobiliários chegam à marca de um milhão pela primeira vez

A partir da próxima segunda-feira (30), a B3 passará a disponibilizar o serviço de empréstimo de cotas de Fundos Imobiliários (FIIs) e de cotas de Fundos de Investimentos em Participações (FIPs).

Segundo ofício divulgado pela bolsa de valores, o fundo deve atender aos seguintes critérios para que as cotas estejam disponíveis para empréstimo: o volume médio diário negociado precisa ser igual ou acima de R$ 1 milhão; e a média do número de cotistas deve ser igual ou maior que 500.

Como referência, o cálculo da média será feito com base nos últimos seis meses (período de maio a outubro de 2020).

"Para que a B3 possa oferecer o tratamento equivalente às posições de empréstimo, no evento de subscrição, é necessário que o administrador realize o evento no prazo mínimo de 10 dias úteis entre a data da atualização do ativo na Central Depositária da B3 e a data da subscrição, garantindo assim os direitos do doador e do tomador", explicou em seu comunicado.

A B3 informou ainda que a análise para inclusão de novos fundos será realizada semestralmente, a partir de outubro de 2020, sempre levando em consideração a média dos seis meses anteriores.

De acordo com o ofício divulgado pela empresa, será vedada a participação no empréstimo de Fundos Imobiliários dos investidores titulares de cotas que representem 10% ou mais do total. Outra limitação deste tipo de operação é que também serão vetados casos em que as cotas deem o direito ao recebimento de rendimento superior a 10% do total de rendimentos auferidos pelo fundo.

Aluguel de ativos

Na realidade, esse instrumento de empréstimo já é utilizado por muitos detentores de ações para criar uma rentabilidade extra com os papéis que já possui.

Na prática, o aluguel de ações funciona como um tipo de operação na bolsa de valores na qual uma pessoa "empresta" um ativo para outra mediante o recebimento de uma taxa de aluguel acordada pelo prazo em que ficam emprestados.

A rentabilidade do aluguel vai depender de qual é o ativo e da oferta e demanda dele no mercado financeiro. Por exemplo, uma ação que tem uma oferta maior terá uma taxa menor de retorno pelo aluguel do que uma ação difícil de ser encontrada no mercado.

A operação mais comum de aluguel é realizada com ações, mas, atualmente, os ativos que podem ser alugados são:

  • Ações (companhias abertas e listadas na BM&FBOVESPA);
  • Units (ativos compostos por mais de um tipo ou classe de valores mobiliários);
  • Cotas de Fundos de Índices (ETFs);
  • BDRs Patrocinado (Brazilian Depositary Receipts).

click aqui para falar com um especialista

Relacionados:

► O que são e como funcionam os fundos imobiliários?► Investidores de fundos imobiliários chegam à marca de um milhão pela primeira vez

Leia mais: