clique para ir para a página principal

Produtividade do trabalho na indústria cresce 8% no terceiro trimestre, aponta CNI

Atualizado em -

Produtividade do trabalho na indústria cresce 8% no terceiro trimestre, aponta CNI Divulgação/CNI
► Moradores da Região Norte do país foram os que mais solicitaram empréstimos no país, informa IBGE► Brasil tem superávit comercial de US$ 3,7 bilhões em novembro

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou nesta terça-feira (1) que a produtividade do trabalho na indústria no terceiro trimestre deste ano se recuperou, depois de duas quedas consecutivas como resultado dos efeitos da pandemia do coronavírus sobre a economia. Segundo o levantamento, houve alta de 8% na comparação com o segundo trimestre de 2020, já considerando a série livre de efeitos sazonais.

A pesquisa revela que o volume produzido nos meses de julho, agosto e setembro cresceu 25,8% em relação ao período que compreende abril, maio e junho, enquanto as horas trabalhadas na produção tiveram alta de 16,4%.

“A indústria se recuperou de forma rápida e intensa a partir de maio, passado o momento mais agudo da crise. Ao longo do trimestre, as fábricas operaram em níveis de ocupação da capacidade instalada crescentes para recompor estoques e atender à rápida recuperação da demanda”, pontua o estudo.

A CNI observa que o crescimento acelerado da produtividade – o maior da série histórica iniciada em 2000 – mais do que compensou a queda acumulada nos dois primeiros trimestres do ano, que chegou à marca de -6,7% na comparação com o quarto trimestre de 2019. O nível registrado agora é superior ao verificado no quarto trimestre de 2017, pico anterior da série histórica.

“O crescimento acelerado da produtividade no terceiro trimestre e a queda acentuada no primeiro semestre do ano são movimentos conjunturais. Eles refletem mudanças na intensidade do esforço do trabalhador e no ritmo de produção que é estabelecido pelas empresas e não mudanças de mais longo prazo, como uma maior qualificação do trabalhador”, explica Samantha Cunha, economista da CNI.

Apesar do expressivo crescimento mostrado na pesquisa, a expectativa é que a produtividade do trabalho na indústria encerre 2020 com baixo crescimento. Mesmo que o ritmo de alta seja mantido no último trimestre, o indicador fecha o ano com aumento abaixo do patamar de 1%, o que significa que pelo terceiro ano seguido o crescimento da produtividade deve ficar abaixo de 1% – entre 2017 e 2019, o indicador acumulou alta de apenas 1,5%.

Relacionados:

► Moradores da Região Norte do país foram os que mais solicitaram empréstimos no país, informa IBGE► Brasil tem superávit comercial de US$ 3,7 bilhões em novembro

Leia mais: