clique para ir para a página principal

Pfizer corta 50% da previsão de doses de vacina contra Covid-19 após imprevistos com suprimentos

Atualizado em -

Pfizer corta 50% da previsão de doses de vacina contra Covid-19 após imprevistos com suprimentos divulgação
► Reino Unido aprova uso de vacina da Pfizer e imunização pode começar em uma semana► Embraer dispara com otimismo pela chegada das vacinas e expectativa de aumento da regionalização de rotas

A Pfizer anunciou nesta quinta-feira (3) que espera enviar apenas metade das vacinas contra a Covid-19 originalmente planejadas para este ano, devido a problemas na cadeia de suprimentos. "Ampliar a cadeia de suprimentos de matéria-prima demorou mais do que o esperado", disse um porta-voz da empresa.

A farmacêutica esperava despachar 100 milhões de doses a diversos países ainda neste ano, mas com o imprevisto o volume deve cair para 50 milhões. Mesmo assim, a empresa ainda planeja entregar mais de um bilhão de doses do imunizante produzido em parceria com a alemã BioNTech em 2021.

Nesta semana, o órgão regulatório britânico (MHRA) aprovou o uso da vacina contra coronavírus desenvolvida pela Pfizer/BioNTech para uso generalizado na população e diz que a imunização é segura.

Com a autorização emergencial, a expectativa é que vacina comece a ser distribuída aos britânicos a partir da semana que vem.

Até o momento, apenas quatro vacinas no mundo, das dez que estão na fase três de testes, a última antes da aprovação, apresentaram resultados de eficácia: a vacina da Pfizer em parceria com a BioNTech (95% eficaz); a da Moderna (94% eficaz); a da Oxford em parceria com a Astra Zeneca (até 90% eficaz, mas com resultados questionados posteriormente) e a vacina Sputinik V, do laboratório russo Gamaleya (92% de eficácia).

Relacionados:

► Reino Unido aprova uso de vacina da Pfizer e imunização pode começar em uma semana► Embraer dispara com otimismo pela chegada das vacinas e expectativa de aumento da regionalização de rotas

Leia mais: