clique para ir para a página principal

Setor de Serviços cresce 1,7% em outubro, mas queda no ano acumula 8,7%

Atualizado em -

Setor de Serviços cresce 1,7% em outubro, mas queda no ano acumula 8,7% Pixabay
► Inflação avança 0,89% em novembro; no ano, indicador já acumula alta de 3,13%► IGP-M sobe 1,28% na prévia de dezembro; em 12 meses, alta chega a 23,52%

O setor de serviços cresceu 1,7% em outubro, registrando a quinta alta consecutiva com ganho de 15,8% no período. Os números, no entanto, ainda não revertem as perdas de 19,8% entre fevereiro e maio acumuladas durante a primeira onda de Covid. O volume se encontra 16,6% abaixo do recorde histórico alcançado em novembro de 2014 e 6,1% abaixo do registrado em fevereiro de 2020. Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) divulgada hoje pelo IBGE.

Na comparação com outubro do ano passado, o recuo foi de 7,4%, registrando a oitava taxa seguida nessa comparação. No ano, a queda foi de 8,7% e, nos últimos meses, de 6,8%. Esse é o resultado negativo mais intenso desde o início da série histórica, em dezembro de 2012.

Em outubro, quatro das cinco atividades pesquisadas cresceram. Já no acumulado de janeiro a outubro o sinal é invertido e quatro das cinco atividades pesquisadas tiveram queda.

”O setor se encontra acima do patamar de fevereiro, antes dos efeitos da pandemia, e a atividade vem sendo impulsionada pelo aumento das receitas das empresas que atuam nos segmentos de corretoras de títulos, valores mobiliários e mercadorias, além de administração de bolsas e mercados de balcão organizados”, explica Rodrigo Lobo, gerente da pesquisa.

Dentre os setores mais afetados pela pandemia, Transportes (1,5%) cresceu pelo sexto mês consecutivo, enquanto Serviços prestados às famílias (4,6%) atingiu a terceira alta seguida. Porém, no ano, o primeiro ainda acumula retração de 8,5% e o segundo, de 37,7%.

Relacionados:

► Inflação avança 0,89% em novembro; no ano, indicador já acumula alta de 3,13%► IGP-M sobe 1,28% na prévia de dezembro; em 12 meses, alta chega a 23,52%

Leia mais: