clique para ir para a página principal

'Prévia do PIB' indica alta de 0,86% em outubro; no ano, queda acumulada é de 4,92%

Atualizado em -

'Prévia do PIB' indica alta de 0,86% em outubro; no ano, queda acumulada é de 4,92% Pixabay
► PIB cresce 7,7% no trimestre, mas não recupera perdas da pandemia► “Veio um pouquinho abaixo do esperado”, diz Guedes sobre PIB► Economia deve retomar o nível pré-pandemia no primeiro trimestre de 2021, estima CNC

O Índice de Atividade Econômica (IBC-Br) registrou crescimento de 0,86% em outubro, na comparação com setembro, e registrou o sexto mês seguido de alta. Na comparação com outubro do ano passado, no entanto, a contração é de 2,61%, segundo o Banco Central. Os dados são considerados uma prévia do PIB oficial.

Com o crescimento de outubro, o IBC-Br chegou a 136,75 pontos – abaixo do patamar de fevereiro, que foi de 140,07 pontos. Os números também indicam uma desaceleração no ritmo de crescimento, que foi de 1,68% em setembro na comparação com agosto. No ano, a queda é de 4,92% e nos últimos 12 meses a retração é de 3,93%.

Pelos números do IBGE, o PIB avançou 7,7% no 3º trimestre na comparação com os três meses anteriores, mas sem superar as quedas ao longo do ano. Segundo o Boletim Focus, a projeção é de uma queda de 4,41% para o resultado do ano.

Para o resultado anual, o governo estima uma queda de 4,5% no indicador, o Banco Mundial prevê uma retração de 5.4% e o FMI aponta uma queda de 5,8% em 2020.

Selic

O IBC-Br é um dos indicadores usados pelo Banco Central para definir a taxa básica de juros. Na última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), na semana passada, a taxa Selic foi fixada em 2% ao ano – sua mínima histórica. Hoje, o Banco Central deve divulgar a ata da última reunião com detalhes sobre a decisão e sobre a sinalização que os juros devem subir a partir do ano que vem como forma de ajudar a controlar a pressão inflacionária.

Relacionados:

► PIB cresce 7,7% no trimestre, mas não recupera perdas da pandemia► “Veio um pouquinho abaixo do esperado”, diz Guedes sobre PIB► Economia deve retomar o nível pré-pandemia no primeiro trimestre de 2021, estima CNC

Leia mais: