clique para ir para a página principal

CNC projeta aumento de 3,4% nas vendas de Natal em 2020

Atualizado em -

CNC projeta aumento de 3,4% nas vendas de Natal em 2020 Pexels
► Vendas de Natal devem gerar R$ 38 bilhões na economia, informa CNDL/Offer Wise► IGP-10 desacelera em dezembro e fecha em 1,97%; em 12 meses, índice subiu 6,39%

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) divulgou nesta terça-feira (15) nova projeção para as vendas no Natal de 2020, com um aumento de 3,4% (antes 2,2%) em relação ao mesmo período no ano anterior.

Caso a projeção se concretize, este será o maior crescimento anual para as vendas no Natal desde 2017, chegando a R$ 38,1 bilhões. A CNC justificou a revisão da projeção como resultado do crescimento do comércio eletrônico durante a pandemia causada pelo coronavírus, este aumento deve representar uma alta de 64% de vendas no e-commerce na comparação anual.

“O ano de 2020 tem sido um dos mais difíceis, senão o mais desafiante, para o varejo brasileiro. A pandemia provocou dificuldades muito grandes para o comércio, mas o Natal, a despeito de toda a conjuntura adversa, deve trazer alguma recuperação para o setor, o que será importante para iniciarmos com algum otimismo um novo ano que promete também apresentar um cenário difícil, de lenta recuperação”, diz o presidente da CNC, José Roberto Tadros, em nota.

A desvalorização do real frente ao dólar também trouxe mudanças nesse consumo, fazendo com que as importações caíssem 16,5% em produtos relacionados ao natal, com a única exceção sendo a categoria de bebidas. R$ 367,2 milhões contra US$ 439 milhões.

"Os preços dos produtos tipicamente natalinos refletem claramente essa tendência. A cesta composta por 214 itens mais consumidos nesta época do ano, agrupados em 30 categorias de bens e serviços, mostra que os preços medidos através do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) apresentam avanço médio de 9,4% nos 12 meses encerrados em novembro. Mantido esse ritmo de reajuste, o Natal de 2020 apresentará a maior alta de preços desde 2015 (+11,0%)", diz nota da entidade.

Relacionados:

► Vendas de Natal devem gerar R$ 38 bilhões na economia, informa CNDL/Offer Wise► IGP-10 desacelera em dezembro e fecha em 1,97%; em 12 meses, índice subiu 6,39%

Leia mais: