clique para ir para a página principal

Mourão diz não saber o que falta para o Brasil reconhecer vitória de Biden

Atualizado em -

Mourão diz não saber o que falta para o Brasil reconhecer vitória de Biden Antonio Cruz/Agência Brasil
► Agência reguladora de saúde nos EUA reconhece eficácia de 94,1% da vacina da Moderna► CNC projeta aumento de 3,4% nas vendas de Natal em 2020

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta terça-feira (15) não saber o que falta para que o Brasil reconheça a vitória de Joe Biden nos Estados Unidos. Depois dos parabéns do presidente da Rússia, Vladimir Putin, Jair Bolsonaro e o norte-coreano Kim Jong-un são os únicos líderes de expressão a não terem cumprimentado Biden até o momento.

Na segunda-feira (14), os delegados dos 50 estados americanos ao Colégio Eleitoral confirmaram a vitória do democrata, pondo um ponto final nas tentativas do presidente Donald Trump de reverter o resultado.

O mandatário brasileiro, que declarou publicamente torcer para a reeleição de Trump, afirmou no fim de novembro que estava "aguardando um pouco mais". Sem apresentar provas, o presidente também disse ter havido fraude na disputa.

Diferentemente de Bolsonaro, Mourão reconheceu a vitória de Biden "como indivíduo", contudo ele não falava pelo governo. No início de dezembro, o vice presidente disse que o Brasil já havia reconhecido a vitória do democrata "tacitamente" e avaliou que o cumprimento oficial poderia ocorrer após a confirmação do resultado pelo Colégio Eleitoral, o que não aconteceu.

Ontem (14), o general da reserva afirmou que "faz algum tempo" que ele e Jair Bolsonaro não tem uma conversa particular.

"Eu estou em condições, estou pronto para acompanhá-lo caso ele deseje e ele vá ser candidato em 2022, porque tudo é possível daqui pra lá. Então, se ele decidir que vai ser candidato e me convidar, ele sabe que tem o meu apoio e minha lealdade para continuar com ele", disse.

Relacionados:

► Agência reguladora de saúde nos EUA reconhece eficácia de 94,1% da vacina da Moderna► CNC projeta aumento de 3,4% nas vendas de Natal em 2020

Leia mais: