clique para ir para a página principal

Medida Provisória destina R$ 20 bilhões para vacinação contra a Covid-19

Atualizado em -

Medida Provisória destina R$ 20 bilhões para vacinação contra a Covid-19 Dado Ruvic / Reuters
► Bolsonaro reconhece vitória de Joe Biden e diz que não irá se vacinar contra a Covid-19► STF analisa ações sobre obrigatoriedade da vacina contra Covid nesta quarta (16)

O presidente Jair Bolsonaro assinou uma Medida Provisória que vai abrir R$ 20 bilhões em crédito para a vacinação contra a Covid-19 no país. A assinatura aconteceu na manhã desta quinta-feira (17), durante a cerimônia de posse do novo Ministro do Turismo, Gilson Machado.

Esse valor vai ser utilizado para ações que colaborem para a imunização da população, em especial a compra de vacinas. Além das imunizações já estabelecidas pela parceria firmada pela Fundação Osvaldo Cruz com a AstraZeneca, o governo pretende adquirir mais vacinas. Entre elas, as produzidas pela Pfizer, que o Brasil negocia a compra de 70 milhões de doses.

Na última quarta-feira (16), o Ministério da Saúde divulgou o Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra a Covid-19. O lançamento aconteceu em um evento no Palácio do Planalto e contou com a participação do presidente Jair Bolsonaro, do ministro Eduardo Pazzuelo (Saúde) e governadores, entre outras autoridades.

O plano foi divido em dez eixos incluindo a descrição da população, vacinas já adquiridas e as que ainda estão em pesquisa, a preparação para a vacinação, a logística de distribuição pelo país e as estratégias de comunicação da campanha.

Segundo o documento, já foram adquiridas pelo governo mais de 300 milhões de doses de vacina contra o coronavírus. Esse número foi obtido através dos acordos estabelecidos pela Fiocruz/AstraZeneca, Covax Facility e Pfizer.

Sobre os grupos prioritários, o governo projeta um total de cerca de 50 milhões de pessoas. A previsão é de uma demanda de aproximadamente 108 milhões de doses, já incluindo os 5% de perda.

Ainda está previsto um processo de capacitação dos profissionais de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS), além da elaboração de um esquema de recebimento, armazenamento e distribuição da própria vacina, de seringas e agulhas.

Relacionados:

► Bolsonaro reconhece vitória de Joe Biden e diz que não irá se vacinar contra a Covid-19► STF analisa ações sobre obrigatoriedade da vacina contra Covid nesta quarta (16)

Leia mais: