clique para ir para a página principal

2 milhões de doses da CoronaVac chegaram ao Instituto Butantan nesta sexta (18)

Atualizado em -

2 milhões de doses da CoronaVac chegaram ao Instituto Butantan nesta sexta (18) Divulgação/Instituto Butantan
► Medida Provisória destina R$ 20 bilhões para vacinação contra a Covid-19 ► STF decide que vacinação contra a Covid-19 deve ser obrigatória e autoriza sanções

Na manhã desta sexta-feira (18), o Instituto Butantan recebeu uma remessa de 2 milhões de doses da CoronaVac, do laboratório chinês Sinovac. No momento, o estoque de imunização contra a covid-19 chegou a mais de 3 milhões de doses.

As doses da vacina chegaram a São Paulo sob acompanhamento do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), do presidente do Butantan, Dimas Covas, e do secretário de Saúde do Estado, Jean Gorinchteyn.

Dimas Covas fez questão de reforçar que até o mês de janeiro é esperado que o estoque já conte com cerca de 9 milhões de doses da CoronaVac.

“Três milhões de doses já nos nossos estoques e, até janeiro, 9 milhões de doses prontas para uso. É a primeira vacina em solo nacional, a primeira vacina que está sendo produzida no Brasil e na América Latina“, assegurou o presidente.

O presidente ainda acrescentou em sua fala que já na semana que vem mais vacinas vão chegar. Ele confirmou que o foco é que a imunização comece o mais rápido possível.

O instituto ainda não divulgou o resultado dos testes clínicos em Fase 3. Por isso, ainda não há registros do imunizante junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A vacina só pode ser aplicada após o registro da agência.

A previsão do Butantan é que os resultados da eficácia sejam divulgados na próxima quarta-feira (23), mesma data em que pretende registrar a vacina junto à Anvisa.

Visando fortalecer a vacinação, está sendo construída uma fábrica que vai produzir a vacina. As obras já começaram e devem ser concluídas até o segundo semestre do próximo ano.

A previsão de Dória para iniciar a vacinação no estado paulista é para o dia 25 de janeiro, podendo a data ser antecipada com a inclusão da CoronaVac no Plano Nacional de Imunização.

Relacionados:

► Medida Provisória destina R$ 20 bilhões para vacinação contra a Covid-19 ► STF decide que vacinação contra a Covid-19 deve ser obrigatória e autoriza sanções

Leia mais: