clique para ir para a página principal

Puxado por alimentos, Índice de Preços ao Produtor (IPP) sobe 1,39% em novembro

Atualizado em -

Puxado por alimentos, Índice de Preços ao Produtor (IPP) sobe 1,39% em novembro Pixabay
► Matéria-prima e insumos estão em falta para quase 70% da indústria; escassez traz reflexos na inflação► Expectativa com inflação em dezembro é a maior do governo Bolsonaro, aponta pesquisa

O IBGE divulgou hoje que o Índice de Preços ao Produtor (IPP) subiu 1,39% em novembro. O índice monitora os preços das indústrias extrativa e de transformação. Mesmo com a alta, houve uma desaceleração em relação a outubro, quando o índice foi de 3,41%.

No acumulado do ano, a inflação na indústria foi de 18,92%. Em 12 meses, o índice foi 19,69%. Segundo o instituto, houve altas de preços em 19 das 24 atividades avaliadas.

O IPP mede os preços de produtos “na porta da fábrica”, sem considerar impostos e fretes, e abrange as principais categorias econômicas: bens de capital, bens intermediários e bens de consumo (duráveis, semiduráveis e não duráveis).

Nas indústrias extrativas, houve deflação de 2,05% em novembro, depois de sete resultados positivos. Já nas indústrias de transformação, a alta média foi de 1,60%.

Alimentos

Entre as atividades avaliadas, as maiores variações positivas foram em móveis (4,03%), borracha e plástico (3,58%) e alimentos (2,76%). Entre as quedas, a mais significativa foi em fumo (-2,91%).

Como a variação em alimentos representa cerca de 25% no peso do índice, a alta nesse grupo foi a maior responsável pela variação no IPP. Manuel Souza Neto, gerente do IPP, explicou que ao juntar a variação com o peso, a contribuição do grupo Alimentos no resultado foi de 0,71 ponto percentual.

”Este já é o quinto aumento consecutivo de preços dos alimentos, que acumulam, no ano, um crescimento de 32,01%, o maior desde 2010, e, em 12 meses, de 35,19%”, afirmou Souza Neto.

Relacionados:

► Matéria-prima e insumos estão em falta para quase 70% da indústria; escassez traz reflexos na inflação► Expectativa com inflação em dezembro é a maior do governo Bolsonaro, aponta pesquisa

Leia mais: