clique para ir para a página principal

Governo de SP apresenta a prefeitos o Plano Estadual de Imunização contra a Covid-19

Atualizado em -

Governo de SP apresenta a prefeitos o Plano Estadual de Imunização contra a Covid-19 Amanda Perobelli
► Governo de SP pedirá uso emergencial da CoronaVac; Vacina indiana será vendida a outros países► Governo zera imposto de importação de seringas e agulhas para vacinação contra a Covid-19

O governador de São Paulo, João Doria, apresentou nesta quarta-feira (6) o Plano de Estadual de Imunização contra o novo coronavírus aos prefeitos eleitos para os mandatos iniciados neste ano. A estratégia das autoridades é iniciar a imunização em todas as regiões do estado no dia 25 de janeiro. Produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, a CoronaVac ainda precisa ter a eficácia comprovada antes de ser liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A previsão do governo de São Paulo é a de que os documentos sejam entregues ao órgão nesta quinta-feira (7), quando também devem ser divulgados os resultados dos testes feitos no país.

“A saúde é a prioridade absoluta. Lamentavelmente, todos os 215 países estão enfrentando uma segunda onda desse vírus e isso exige cuidado, zelo, disciplina, perseverança, determinação e coragem para fazer o que precisa ser feito”, disse Doria.

O secretário de Saúde, Jean Gorinchteyn, listou aos prefeitos os detalhes do plano. A primeira etapa de vacinação vai priorizar profissionais da saúde, pessoas com 60 anos ou mais e grupos indígenas e quilombolas. A expectativa do estado é que 9 milhões de pessoas sejam imunizadas na primeira etapa, com a aplicação de 18 milhões de doses, até o dia 28 de março.

A campanha coordenada pela secretaria estadual de Saúde em parceria com os 645 municípios paulistas visa dobrar o total de postos de vacinação. A estimativa é de que a imunização envolva cerca de 79 mil profissionais, com 54 mil trabalhadores do setor da saúde e 25 mil agentes da segurança pública para garantir a segurança da população e evitar aglomerações nos locais de vacinação.

Até o momento, o Estado de São Paulo recebeu o equivalente a 10,8 milhões de doses da CoronaVac da China, considerando os lotes de vacina já prontos para aplicação e os de insumos que serão processados e envasados pelo Instituto Butantan.

Ministério da Saúde

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou na noite desta quarta-feira (06) que o governo começará a vacinar a população antes do dia 25 de janeiro (data estabelecida pelo governador João Doria para o início da vacinação em São Paulo). As primeiras doses aplicadas virão do lote comprado da Índia.

Em reunião ministerial no Palácio do Planalto, o general afirmou ainda que o ministério acelerou as negociações com a Pfizer para a compra do imunizante que já vem sendo aplicado em diversos países, como os EUA e algums membros da União Europeia.

Relacionados:

► Governo de SP pedirá uso emergencial da CoronaVac; Vacina indiana será vendida a outros países► Governo zera imposto de importação de seringas e agulhas para vacinação contra a Covid-19

Leia mais: