clique para ir para a página principal

Em pronunciamento, Pazuello diz que vacinação contra Covid-19 começa neste mês

Atualizado em -

Em pronunciamento, Pazuello diz que vacinação contra Covid-19 começa neste mês Marcelo Camargo/Agência Brasil
► Governo zera imposto de importação de seringas e agulhas para vacinação contra a Covid-19► Governo de SP apresenta a prefeitos o Plano Estadual de Imunização contra a Covid-19

Em pronunciamento em rede nacional de televisão, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse nesta quarta-feira (6) que a vacinação contra o novo coronavírus começará em janeiro e que o Brasil exportará vacina para outros países da América Latina. Segundo o ministro, o governo dispõe de quantidade de seringas e agulhas suficiente para iniciar a vacinação.

"O Brasil já tem disponíveis cerca de 60 milhões de seringas e agulhas nos estados e municípios, número suficiente para iniciar a vacinação ainda neste mês de janeiro", destacou.

A fala de Pazuello surge em meio à dificuldade para garantir seringas e agulhas para imunizar a população. Após restringir a exportação dos materiais, o governo agora zerou o imposto de importação dos itens.

O general afirmou ainda que "todos os estados e municípios receberão a vacina de forma simultânea, igualitária e proporcional à população". A previsão feita pelo ministro no fim de dezembro era de iniciar a imunização entre o fim de janeiro e início de fevereiro.

Pazuello também aproveitou a fala para se solidarizar com as famílias das quase 200 mil vítimas da Covid-19 no Brasil e agradeceu a todos profissionais de saúde que atuam em território nacional.

No pronunciamento, chefe da pasta da Saúde afirmou que Bolsonaro assinou uma medida provisória que prevê "medidas excepcionais" para compra de vacinas, insumos, bens e serviços de logística para a vacinação.

A MP foi publicada edição extra do "Diário Oficial da União" nesta quarta. Medidas Provisórias têm força de lei assim que publicadas, mas precisam ser aprovadas pelo Congresso Nacional para virar leis em definitivo.

São Paulo

O governador de São Paulo, João Doria, apresentou nesta quarta-feira (6) o Plano de Estadual de Imunização contra o novo coronavírus aos prefeitos eleitos para os mandatos iniciados neste ano. A estratégia das autoridades é iniciar a imunização em todas as regiões do estado no dia 25 de janeiro. Produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, a CoronaVac ainda precisa ter a eficácia comprovada antes de ser liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A previsão do governo de São Paulo é a de que os documentos sejam entregues ao órgão nesta quinta-feira (7), quando também devem ser divulgados os resultados dos testes feitos no país.

“A saúde é a prioridade absoluta. Lamentavelmente, todos os 215 países estão enfrentando uma segunda onda desse vírus e isso exige cuidado, zelo, disciplina, perseverança, determinação e coragem para fazer o que precisa ser feito”, disse Doria.

Relacionados:

► Governo zera imposto de importação de seringas e agulhas para vacinação contra a Covid-19► Governo de SP apresenta a prefeitos o Plano Estadual de Imunização contra a Covid-19

Leia mais: