clique para ir para a página principal

Ibovespa renova máxima histórica ao subir 2,76% e fechar em 122 mil pontos

Atualizado em -

Ibovespa renova máxima histórica ao subir 2,76% e fechar em 122 mil pontos Pexels
► Estudo no Brasil aponta que CoronaVac evita 100% de casos moderados e graves da Covid-19► Acordo entre CVM e Senacon ajudará em reclamações de pequenos investidores

O índice brasileiro encerrou o dia em alta de +2,76% aos 122.385 pontos, batendo máxima histórica, acelerado pelas ações de bancos e commodities, após o Congresso americano confirmar Joe Biden como o presidente do país e o governo de São Paulo anunciar que a Coronavac tem 78% de eficiência.

A eficácia do medicamento é de 78%. O percentual ultrapassa o mínimo exigido para aprovação, que é de 50%, segundo os parâmetros definidos pela OMS.

De acordo com o governo, nenhum dos voluntários da vacina apresentou quadro grave da doença, portanto não houve registro de internações ou morte entre eles. Com base nessa conclusão, o governo disse que a vacina apresentou eficácia de 100% contra casos graves.

Além disso, o Instituto Butantan submeteu à Anvisa um pedido de aprovação do uso emergencial da CoronaVac.

Enquanto isso, o dólar comercial registra alta de +1,82% a R$ 5,398 na compra e a R$ 5,399 na venda.

Maiores altas

  • Suzano (SUZB3) +8,64% R$ 62,49
  • Bradespar (BRAP4) +8,27% R$ 76,38
  • Klabin (KLBN11) +7,61% R$ 28,13

Maiores baixas

  • CVC (CVCB3) -3,64% R$ 19,56
  • Energisa (ENGI11) -3,57% R$ 47,58
  • CPFL Energia (CPFE3) -3,45% R$ 30,25

click aqui para falar com um especialista

Relacionados:

► Estudo no Brasil aponta que CoronaVac evita 100% de casos moderados e graves da Covid-19► Acordo entre CVM e Senacon ajudará em reclamações de pequenos investidores

Leia mais: