clique para ir para a página principal

Pazuello diz que Ministério da Saúde fechou compra de 100 milhões de doses da CoronaVac

Atualizado em -

Pazuello diz que Ministério da Saúde fechou compra de 100 milhões de doses da CoronaVac Marcelo Camargo/Agência Brasil
► Governo zera imposto de importação de seringas e agulhas para vacinação contra a Covid-19► Estudo no Brasil aponta que CoronaVac evita 100% de casos moderados e graves da Covid-19

Em entrevista coletiva realizada nesta quinta-feira (7) no Palácio do Planalto, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou que o governo federal assinou contrato para comprar 100 milhões de doses da CoronaVac, vacina chinesa contra o novo coronavírus que será produzida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório Sinovac. Serão 46 milhões até abril e outras 54 milhões de doses até o fim do ano.

Em um discurso com críticas à imprensa, o ministro lamentou a marca de 200 mil mortes no país, atingida hoje, e voltou a afirmar que a vacinação começa, no melhor cenário, em 20 de janeiro.

"Estamos hoje, na sequência da aquisição de doses com Butantan, fechando contrato que vai a 100 milhões de doses. Máximo que ele (o instituto) consegue produzir. Já tínhamos um memorando assinado desde outubro, final de setembro, nos comprometendo com aquisição da totalidade produzida", disse Pazuello.

Segundo o chefe da pasta da Saúde, o contrato com o Butantan só avançou após a edição de uma medida provisória (MP) que permite a compra de vacinas mesmo antes do registro ou aval para uso emergencial ser concedido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Mais cedo, o Butantan anunciou que a CoronaVac tem eficácia de 78% na prevenção da Covid-19. A porcentagem é referente à prevenção de casos leves da doença.

Já os casos moderados e mortes foram completamente evitados no estudo científico realizado com voluntários brasileiros. Ou seja, a CoronaVac garantiu proteção total contra mortes nos voluntários vacinados que pegaram o novo coronavírus durante os testes.

O governador João Doria também confirmou que o imunizante apresentou 100% de eficácia na prevenção de casos graves da doença.

"Significa que a vacina tem alto grau de eficiência e eficácia contra a Covid-19. Hoje, pela manhã, o Butantã iniciou o pedido de uso emergencial junto à Anvisa. O objetivo é iniciar a vacinação no dia 25 de janeiro, como programado, e fornecer para todo o Brasil através do Ministério da Saúde", declarou em coletiva de imprensa.

Relacionados:

► Governo zera imposto de importação de seringas e agulhas para vacinação contra a Covid-19► Estudo no Brasil aponta que CoronaVac evita 100% de casos moderados e graves da Covid-19

Leia mais: