clique para ir para a página principal

Confiança do empresário industrial recua em janeiro, aponta CNI

Atualizado em -

Confiança do empresário industrial recua em janeiro, aponta CNI CNI | Divulgação
► Matéria-prima e insumos estão em falta para quase 70% da indústria; escassez traz reflexos na inflação► CNI informa que Índice de Medo do Desemprego subiu entre setembro e dezembro de 2020

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei), medido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), recuou 2,2 pontos em janeiro em relação a dezembro do ano passado. O índice está 60,9 pontos.

Para a CNI, a queda demonstra a elevada incerteza em relação à evolução da pandemia e ao desempenho da economia nos próximos seis meses.

"Apesar da chegada da vacina, o crescimento do contágio nos países europeus e, sobretudo, no Brasil aumentou o temor da necessidade de novas medidas de isolamento social. Adicionalmente, o ano de 2021 começa sem as medidas emergenciais de apoio às empresas e às famílias mais vulneráveis. Esses fatores, provavelmente, resultaram no recuo da confiança dos empresários", diz o boletim da CNI.

Ainda conforme a entidade, houve queda nos dois indicadores que compõem o Icei: o Índice de Condições Atuais e o Índice de Expectativas. O primeiro índice passou de 59,7 pontos em dezembro para 56,7 em janeiro. O segundo caiu de 64,9 para 63 pontos.

O índice varia de 0 a 100, sendo 50 o valor da estabilidade. Foram entrevistadas 1.286 empresas: 491 delas de pequeno porte, 505 de porte médio e 290 grandes empresas.

"Não obstante, as expectativas dos empresários industriais com relação aos próximos seis meses continuam favoráveis. O indicador continua acima e distante da linha divisória dos 50 pontos", acrescenta o boletim.

Relacionados:

► Matéria-prima e insumos estão em falta para quase 70% da indústria; escassez traz reflexos na inflação► CNI informa que Índice de Medo do Desemprego subiu entre setembro e dezembro de 2020

Leia mais: