clique para ir para a página principal

IBGE: Safra 2021 de grãos deve alcançar a marca recorde de 260,5 milhões de toneladas

Atualizado em -

IBGE: Safra 2021 de grãos deve alcançar a marca recorde de 260,5 milhões de toneladas Freepik
► Setor da soja mantém cenário positivo para próxima safra, mesmo com ano atípico ► Exportações do agro ultrapassam barreira dos US$ 100 bilhões pela segunda vez

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quarta-feira (13) o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA). O estudo aponta que a safra nacional de grãos deve ser de 260,5 milhões de toneladas. Esse resultado implicaria em uma alta de 2,5% na comparação com a safra do ano de 2020, quando foram produzidas 254,1 milhões de toneladas.

Ainda segundo os dados divulgados, essa previsão de produção seria o terceiro recorde quebrado consecutivo pelo setor. O levantamento também informa que a soja deve continuar como destaque no setor, com uma estimativa inicial de produção de 129,7 milhões de toneladas.

Para o milho a previsão é de que a produção fique em 103,2 milhões de toneladas, o arroz, deve ficar em 11,0 milhões de toneladas e o algodão 6,1 milhões de toneladas.

“Em função dos preços mais compensadores da soja, em relação ao milho, os produtores são estimulados a ampliar suas áreas de cultivo da oleaginosa, que em 2021 deve representar mais de 57% da área total utilizada para o plantio de grãos do país”, explica o analista de Agropecuária do IBGE, Carlos Barradas.

Depois de três anos seguidos batendo recordes, o algodão tem previsão de que essa safra feche com redução de 14% em relação ao resultado obtido no último ano.

“A safra de algodão herbáceo vinha crescendo para atender à demanda internacional. Mas o algodão é usado principalmente para a confecção de roupas e, com a pandemia da Covid-19, essa demanda caiu, influenciando na decisão de plantio da próxima safra”, avalia Barradas.

2020

A 12ª estimativa para a safra nacional de grãos chegou ao resultado de 254,1 milhões de toneladas, ficando 5,2% acima da colheita de 2019, que foi de 241,5 milhões de toneladas.

No último ano houve um aumento de 2,2 milhões de hectares na comparação com a área colhida de 2019. Em 2020, 65,4 milhões de hectares foram usados para a colheita de grãos pelo Brasil.

FONTE: IBGE

Em relação a produção estadual em 2020, o Mato Grosso foi responsável por 28,7% dos grãos brasileiros e segue com maior produtor do país. Logo em seguida, vem o Paraná com 15,9% da produção. Rio Grande do Sul e Goiás com 10,3%, Mato Grosso do Sul com 8,7% e Minas Gerais com 6,2%, foram outros destaques da produção de grãos no último ano.

A região do país que mais produziu para a safra de 2020 foi o Centro-Oeste com 121,7 milhões de toneladas. O Sul ficou em segundo lugar com 73,0 milhões e o Sudeste fechou o pódio com 25,7 milhões de toneladas produzidas. O Nordeste produziu 22,6 milhões de toneladas e o Norte 11,0 milhões de toneladas.

Relacionados:

► Setor da soja mantém cenário positivo para próxima safra, mesmo com ano atípico ► Exportações do agro ultrapassam barreira dos US$ 100 bilhões pela segunda vez

Leia mais: