clique para ir para a página principal

BNDES financiará com R$ 3,9 bilhões usina de gás natural no Porto do Açu (RJ)

Atualizado em -

BNDES financiará com R$ 3,9 bilhões usina de gás natural no Porto do Açu (RJ) Pixabay
► Aumento na tarifa elétrica desperta necessidade de investimentos em energia limpa nas empresas► Engie anuncia pagamento de R$ 1,2 bilhão em proventos no dia 29 de janeiro

O Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou nesta quinta-feira (14) o financiamento de R$ 3,93 bilhões à Gás Natural Açu S/A (GNA) para a implantação da usina termelétrica de mesmo nome localizada no Porto do Açu, no município de São João da Barra, na região Norte do Estado do Rio de Janeiro.

Segundo o banco de fomento, a termelétrica contará com quatro conjuntos geradores, três movidos a gás natural e um a vapor. A capacidade instalada total será de 1.673 MW, o suficiente para abastecer de 7,8 milhões de residências. Durante a construção, deverão ser gerados cerca de 5 mil empregos, com a previsão de outros 500 postos de trabalho quando a usina entrar em operação, contribuindo para o desenvolvimento da economia local.

“Hoje é um dia muito importante para a GNA. A aprovação do financiamento junto ao BNDES viabiliza a realização de um investimento muito significativo no Brasil e no Estado do Rio, um sinal de confiança para a retomada da economia no pós-pandemia. Além disso, a presença do BNDES no financiamento da UTE GNA II demonstra a sua confiança na visão estratégica da GNA para a criação de um hub de gás no Porto do Açu”, afirma Bernardo Perseke, Diretor-Presidente da GNA.

O Parque Termoelétrico do Porto do Açu é uma decisão de investimento da Prumo Logística (PRML3), controlada pela EIG Global Energy Partners, da Siemens AG e da BP. O Porto do Açu é um ponto de chegada, entre outros, de campos de produção de petróleo e gás natural do pré-sal brasileiro. Além da implantação das duas térmicas a gás natural, o projeto compreende um Terminal de Regaseificação de GNL (Gás Natural Liquefeito), de 21 milhões de metros cúbicos/dia. O investimento total no projeto é de cerca de R$ 10 bilhões.

Relacionados:

► Aumento na tarifa elétrica desperta necessidade de investimentos em energia limpa nas empresas► Engie anuncia pagamento de R$ 1,2 bilhão em proventos no dia 29 de janeiro

Leia mais: