clique para ir para a página principal

CSN se organiza para realizar IPO de unidade de mineração; oferta pode movimentar R$ 5,3 bilhões

Atualizado em -

CSN se organiza para realizar IPO de unidade de mineração; oferta pode movimentar R$ 5,3 bilhões CSN / Divulgação
► Simpar anuncia abertura de capital da Vamos; movimento pode levantar até R$ 1,7 bi► Light define o valor de R$ 20 por ação em follow-on

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) (CSNA3) acertou o seu valor de mercado e segue com o andamento dos processos para realizar a oferta inicial de ações (IPO) de sua unidade de mineração. A operação de minério de ferro da companhia da família Steinbruch deve fazer sua estreia na bolsa com seu valor entre R$ 47,5 bilhões e R$ 63 bilhões.

A expectativa é que o IPO aconteça na segunda semana de fevereiro. A oferta deve girar em torno de R$ 5,3 bilhões.

Segundo a companhia, os valores obtidos no IPO vão ser usados para reduzir seu endividamento. Em setembro de 2020, a dívida líquida da empresa superava os R$ 30 bilhões.

A subsidiária da CSN detém duas minas: a Namisa e a Casa de Pedra, que é responsável pela produção de um dos minérios de maior qualidade da região produtora. A participação da companhia é dividida em 90% para a Steinbruch e o restante para um consórcio asiático.

O lançamento oficial da oferta primária de ações deve acontecer até o final desta semana. A partir desse momento, vão ser iniciadas as reuniões de apresentação da companhia a possíveis investidores.

Produção

A companhia siderúrgica divulgou que espera que a produção de minério cresça de 33 milhões de toneladas anuais, para 108 milhões de toneladas, até 2033.

No 3T20, a companhia registrou um lucro líquido de R$ 1,262 bilhão - revertendo prejuízo de R$ 871 milhões registrado no mesmo período do ano anterior. De acordo com comunicado da siderúrgica, foi possível alcançar esse resultado por conta da combinação de melhores volumes, preços e custos em basicamente todos os segmentos de atuação.

Relacionados:

► Simpar anuncia abertura de capital da Vamos; movimento pode levantar até R$ 1,7 bi► Light define o valor de R$ 20 por ação em follow-on

Leia mais: