clique para ir para a página principal

Agência Internacional de Energia afirma que demanda global por gás deve crescer 2,8% em 2021

Atualizado em -

Agência Internacional de Energia afirma que demanda global por gás deve crescer 2,8% em 2021 Igás / Divulgação
► Com recorde na participação do pré-sal, Petrobras atinge maior produção em cinco anos► Petrobras aumenta em 7,6% o preço médio da gasolina nas refinarias

Em evento realizado nesta terça-feira (26), o analista sênior de gás natural da Agência Internacional de Energia (IEA), Jean-Baptiste Dubreull, informou que a demanda global por gás no mundo deve aumentar 2,8% no atual ano. Essa taxa corresponderia a um crescimento de cerca de 110 bilhões de metros cúbicos (bcm), se aproximando aos níveis obtidos em 2019.

Os mercados globais de gás registraram a maior queda da história do setor em 2020. Segundo o analista, a estimativa é de que no ano passado, o consumo tenha baixado 100 bcm devido a alguns fatores, entre eles a pandemia de Covid-19.

Ele ainda ressaltou que mesmo com a baixa registrada em 2020, o gás apresentou um resultado melhor que outras fontes de energia, como o petróleo.

Dados do IEA apontam que os preços do gás natural liquefeito (GNL) chegaram a alcançar resultados baixos. Porém, se recuperaram impulsionados por baixas temperaturas e questões de oferta.

“A demanda por gás natural é mais sensível à temperatura que outros combustíveis“, disse Dubreuil.

Mesmo com essa alta, o analista fez questão de afirmar que ainda existe um contexto de incerteza sobre a demanda por GNL no médio prazo.

“Cerca de um terço dos contratos ativos de GNL vencerá até 2025, enquanto a capacidade de liquefação deve crescer em 20%, o que quadruplicará os volumes descontratados”, explica Jean-Baptiste Dubreull.

Embora o seguimento deve se recuperar neste ano, ainda não se tem expectativa de uma grande retomada, já que os mercados globais de gás devem seguir apresentando uma recuperação gradual.

Relacionados:

► Com recorde na participação do pré-sal, Petrobras atinge maior produção em cinco anos► Petrobras aumenta em 7,6% o preço médio da gasolina nas refinarias

Leia mais: