clique para ir para a página principal

Após dois anos, CVM absolve ex-conselheiros da Petrobras e Mantega em caso de política de preços

Atualizado em -

Após dois anos, CVM absolve ex-conselheiros da Petrobras e Mantega em caso de política de preços Flávio Emanuel | Agência Petrobras
► Sete Brasil informa que não pode cumprir acordo e pede nova negociação com Petrobras► Boletim da CVM confirma números recordes na bolsa em 2020

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) absolveu nesta terça-feira (02), em decisão unânime, oito ex-conselheiros de administração da Petrobras (PETR4) em um processo administrativo que discutiu a condução da política de preços da estatal no governo Dilma Rousseff. O grupo foi acusado de induzir investidores a erro.

A área técnica da CVM afirmava na acusação que o descasamento entre as metas de endividamento e alavancagem divulgadas ao mercado nos Planos de Negócios para os períodos 2013-2017 e 2014-2018 e a execução da política de preços deram mensagens trocadas aos acionistas e resultaram em prejuízos estimados em R$ 30 bilhões entre 2011 e o primeiro semestre de 2014.

Foram absolvidos pelo colegiado os ex-ministros Guido Mantega (Fazenda), Miriam Belchior (Planejamento) e Marcio Zimmermann (Minas e Energia), além de Sérgio Franklin Quintella, o empresário Jorge Gerdau, o ex-presidente do BNDES, Luciano Coutinho, Francisco de Albuquerque e José Maria Ferreira Rangel, então representante dos empregados no conselho da petroleira.

O desfecho do caso ficou adiado por mais de dois anos. O colegiado concluiu nesta terça-feira o julgamento iniciado em 13 de dezembro de 2018 - suspenso após um pedido de vista do então diretor da CVM, Henrique Machado.

Relacionados:

► Sete Brasil informa que não pode cumprir acordo e pede nova negociação com Petrobras► Boletim da CVM confirma números recordes na bolsa em 2020

Leia mais: